Home

Férias 2017

Férias 2017!

 

Mingalaba!

Myanmar para uns, Birmânia para outros…. é para lá que eu vou!

Mais uma vez Huang (www.centrotaoista.com.br ) organizou um passeio que promete ser bonito e interessante.

Nosso grupo é um pouco menor do que das outras vezes. Conheço todos e sei que possuem as mesmas expectativas que eu.

Pelo que li, Myanmar possui maravilhas que o tempo, as adversidades e fenômenos naturais não conseguiram destruir.

Aberto ao mundo há pouco tempo, muito tem a oferecer àqueles que buscam conhecer seu “way of life”. É o que procuro.

Por enquanto, são expectativas. Na volta, relatarei as certezas.

Além de Myanmar, vamos para Taiwan e também faremos um stopover em Dubai.

Huang sempre diz que depois que eu conhecer Taiwan nunca mais vou querer ir para Hong Kong, minha paixão. Será???? Só pagando para ver. E é isso que vou fazer.

As atrações foram escolhidas “a dedo”, como se diz. Parecem especiais. Huang é de lá e, com certeza, vai querer nos apresentar o que há de melhor.

Dessa vez, antes de ir, tentei descobrir os segredos, as crenças e lendas de cada lugar por onde vamos passar.

Se por um lado isso tira parte do encanto da viagem, por outro, garante um aproveitamento maior do passeio e, de quebra, garante, também, que rituais sejam cumpridos, sempre que possível. E olhe que são muitos.

A seguir, um pouco do que vamos ver e algumas dicas sobre os lugares que vamos visitar.

Nosso roteiro:

02   Jun. 2017 (Sex.): São Paulo 

03   Jun. 2017 (Sáb.): São Paulo – Dubai – Myanmar.

04  Jun. 2017 (Dom.): Yangon (Myanmar) – Rose Garden Hotel – http://www.theroseyangon.com

05  Jun. 2017 (Seg.): Yangon – Bagan (avião) – Aureum Palace Hotel (2 noites) – http://aureumpalacehotel.com/bagan.html

07  Jun. 2017 (Qua.): Bagan – Mandalay (avião) – Mandalay Hill Hotel Resort (2 noites) – http://www.mandalayhillresorthotel.com/www/

09  Jun. 2017 (Sex.): Mandalay – Pindaya – Kalaw – Hill Top Villa Kalaw Hotel – http://www.hilltopvillakalaw.com/

10  Jun. 2017 (Sáb.): Kalaw – Nyaung Shwe – Inle – Aureum Palace Hotel Resort (2 noites) – http://aureumpalacehotel.com/inle.html

12  Jun. 2017 (Seg.): Inle – Yangon – (avião) – Rose Garden Hotel – http://www.theroseyangon.com/

13  Jun. 2017 (Ter.): Yangon (Myanmar) – Taipei (Taiwan) (avião) – Sheraton Grand Taipei Hotel (2 noites) – http://www.starwoodhotels.com/sheraton/property/overview/index.html?propertyID=956&language=en_US

15  Jun. 2017 (Qui.): Taipei – Taichung – Tempus  Hotel – http://www.tempus.com.tw/index_en.php

16  Jun. 2017 (Sex.): Taichung – Lukuan-Nan Tou – The Wen Wan Resort http://www.thewenwan.com/en/about.html

17  Jun. 2017 (Sáb.): Nan Tou- Taipei – Sheraton Grand Taipei  Hotel (2 noites) – http://www.starwoodhotels.com/sheraton/property/overview/index.html?propertyID=956&language=en_US

19 Jun.  2017 (Seg.): Taipei- Dubai – dia livre – À noite, voo de Taipei para Dubai

20 Jun. 2017 ( Ter.): Dubai – Sofitel Dubai Downtown – http://www.sofitel-dubai-downtown.com/ (2 noites)

22  Jun. 2017 – Dubai – São Paulo

 

Orientações e cuidados antes da viagem – www.centrotaoista.com.br

  1. Voos domésticos em Myanmar: 1 mala de 20Kg para despacho.
  2. Myanmar para Taiwan: 1 mala de 30 Kg para despacho.
  3. Taiwan de volta para Brasil: 2 malas de 32Kg para despacho.
  4. Fazer a cópia de passaporte e passagem.
  5. Não levar qualquer substância líquida nas malas de mão. Caso precise, levar, no máximo, até 100ml. Produtos como perfume, desodorante etc, deixar na mala que será despachada.
  6. Não se esquecer de levar os remédios que costuma tomar, bronzeador, sunga, biquíni.
  7. Em Myanmar, as calças precisam cobrir os joelhos e as roupas precisam ter mangas.
  1. Não se esquecer dos documentos necessários para viagem.
  2. Levar dólares somente com a “cabeça grande” (cédulas novas).
  3. Habilitar o cartão de crédito ( VISA/MASTER etc.) para uso nos países que vai passar.
  4. É recomendável levar repelente e remédio óleo de proteção solar, chapéu, óculos de sol.
  5. Levar uma roupa mais grossa por segurança para montanha com altura em torno de 1000m
  6. Levar guarda chuva, por precaução.
  7. Não tomar água sem ser em garrafa lacrada, nem comer as comidas nas feiras ou nas ruas.
  8. Levar remédio para diarreia por precaução

Depois de chegar:

  1. Para não atrasar a programação, fechar a conta antecipadamente do hotel (caso tenha consumido itens como: águas, refrigerantes, telefone etc.), antes de o grupo deixar o próprio hotel para o próximo passeio (normalmente logo após do café da manhã).
  2. É recomendável o uso de roupas, calçados mais confortáveis possíveis durante a viagem.
  3. É necessário respeitar os horários combinados para os encontros durante a excursão, pois seu atraso acaba atrasando todo o grupo.
  4. Levar uma pequena calculadora e usar para negociar preço na hora de compras.
  5. Evite guardar todo dinheiro no lugar só.
  6. Cuidados especiais serão passados conforme a chegada em cada cidade.

PS.: Há um “grupo de excursão” no Facebook para que os participantes possam trocar as ideias, compartilhar fotos e etc. Quem tiver interesse, basta se inscrever no Facebook e procura pelo nome “Centro Taoísta ”. Selecione o grupo excursão turística, para que possa ser adicionado ao grupo.

ETIQUETA BUDISTA

  1. Não é permitido levar quaisquer bebidas e alimentos para o interior do templo, logo, também não são autorizados piqueniques;
  2. Não levar animais de estimação;
  3. Não ir com roupas inadequadas (decotes, regatas e shorts);
  4. Não fotografar nem filmar atividades e interior das salas sem autorização prévia;
  5. Não fumar absolutamente em nenhum local do templo;
  6. Não pegar nada que não tenha sido oferecido;
  7. Não assumir posturas inadequadas nas dependências (deitar pelo pátio, debruçar-se nas muretas, estátuas etc.);
  8. Não manifestar contatos íntimos (beijos, abraços, carícias etc.);
  9. Não tocar nos instrumentos de darma;
  10. Não fazer barulho e evitar aglomeração na porta da sala principal (evitar perturbar a concentração e o momento de oração dos praticantes).

Informações básicas em Myanmar

Capital – Nay Pyi Taw

A moeda oficial de Myanmar é o Kyat (MMK).

1 Euro equivale a 1.388 MMK

1 Real equivale a 323 MMK. Câmbio:

http://www.xe.com/currencyconverter/convert/?From=USD&To=MMK

Código internacional: MMK

Símbolo: K

Dólares americanos são aceitos, principalmente para compras de maior valor. As transações menores (táxi, mercados de rua, refeições etc.) são feitas através de Kyat.

Atenção: As notas de dólar deverão ser novas, em perfeitas condições e sem rabiscos. Notas antigas e/ou com rasuras poderão ser recusadas.

É possível trocar dinheiro nos bancos e casas de câmbio que se encontram em todas as grandes cidades do país e nos principais aeroportos. Em Yangon também é possível trocar dinheiro no Mercado Bogyoke Aung San (Scott Market).

Cartões de crédito e de débito são aceitos nas ATM que estão nas grandes cidades. Uma taxa no valor de K5000 é aplicada a cada transação e existe um limite de K300,000 por levantamento.

O uso de cartões de crédito é bastante limitado. São aceitos em alguns lugares e, muitas vezes, existe a alegação de que a maquininha não está funcionando. Poderá ser aplicada uma taxa sobre o valor de compra.

As gorjetas, apesar de não serem esperadas, são apreciadas e devem ser dadas em Kyat.

Alguns custos de referência:

* Garrafa de água pequena: 300 K

* Coca-cola pequena: 890 K

* Cerveja meio litro: 1.250 K

* Refeição barata: 4.100 K

* Táxi (tarifa inicial): 1.600 K

Para facilitar:

MMK – Kyat birmanês – BRL – Real brasileiro

  • 100 MMK = 0.23 BRL
  • 200 MMK = 0.47 BRL
  • 500 MMK = 1.16 BRL
  • 1,000 MMK = 2.33 BRL
  • 2,000 MMK = 4.66 BRL
  • 5,000 MMK = 11.64 BRL
  • 6,000 MMK = 13.97 BRL
  • 10,000 MMK = 23.28 BRL
  • 20,000 MMK = 46.56 BRL
  • 30,000 MMK = 69.83 BRL
  • 50,000 MMK = 116.39 BRL
  • 100,000 MMK = 232.78 BRL
  • 500,000 MMK = 1,163.89 BRL
  • 1,000,000 MMK = 2,327.79 BRL
  • 5,000,000 MMK = 11,638.94 BRL
  • 1 BRL = 429.59 MMK
  • 5 BRL = 2,147.96 MMK
  • 10 BRL = 4,295.93 MMK
  • 20 BRL = 8,591.85 MMK
  • 25 BRL = 10,739.81 MMK
  • 50 BRL = 21,479.63 MMK
  • 100 BRL = 42,959.26 MMK
  • 200 BRL = 85,918.51 MMK
  • 250 BRL = 107,398.14 MMK
  • 500 BRL = 214,796.28 MMK
  • 1,000 BRL = 429,592.57 MMK
  • 2,000 BRL = 859,185.13 MMK
  • 2,500 BRL = 1,073,981.41 MMK
  • 3,500 BRL = 1,503,573.98 MMK
  • 5,000 BRL = 2,147,962.83 MMK

http://currency7.com/pt-pt/mmk-to-brl-exchange-rate-converter

Tomadas e corrente eléctrica em Myanmar

A corrente eléctrica em Myanmar é de 230V 50Hz. As tomadas eléctricas mais usadas são as de 2 pinos redondos, de 3 pinos redondos e de 3 pinos grossos achatados. Melhor levar adaptador universal.

Alguns cuidados sobre a saúde:

– Usar repelente nas partes expostas do corpo.

– Dar preferência a mangas compridas e calças para evitar picadas e doenças transmitidas por insetos, incluindo a dengue.

– Levar remédio para diarreia.

– Beber apenas água engarrafada e evitar o gelo em bebidas.

– Evitar saladas e frutas que não podem ser descascadas.

– O tratamento médico de rotina está disponível em Yangon e em Mandalay, mas fora dessas cidades ou para incidentes mais sérios pode ser preciso ir a um outro país para tratamento de emergência. Certificar-se de que o seguro de viagem cobre evacuação médica e repatriação de emergência porque os custos são enormes.

– Se precisar receber tratamento médico na Birmânia, o pagamento antecipado pode ser exigido mesmo se estiver coberto pelo seguro.

Costumes

– Birmânia é um país muito conservador e profundamente religioso. Homens e mulheres devem evitar usar shorts. Ombros e parte superior dos braços também devem permanecer cobertos.

– Fotos – Não fotografar pessoas que trabalham ou estejam tomando banho. Sempre pedir permissão – com palavras ou gestos.

– Drogas – Tráfico de drogas é proibido, sujeito a pena de morte, em caso de desobediência.

– Apontar as pessoas ou passar a mão na cabeça das crianças com a mão esquerda que é uma ofensa e desrespeito!

Algumas curiosidades que merecem ser conhecidas antes da viagem

– Myanmar – De acordo com a astrologia birmanesa, há oito dias em uma semana. É que a quarta-feira é dividida em duas: pela manhã é o Bohdahu (dia em que o Buddha nasceu) e pela tarde é Yahu (Rahu – um planeta, segundo a astrologia birmanesa).

http://adsabs.harvard.edu/full/1991QJRAS..32…53C

– Yangon – Shwedagon Pagoda – Manda a tradição que se deve começar a visita no sentido horário. Os birmaneses acreditam que Shwedagon contém 9 maravilhas, imagens e locais sagrados cuja reverência pode lhes conceder a realização de seus desejos.

1 – Tawagu Wish-Fulfilling Buddha – Fica na plataforma superior e somente os homens têm acesso a ela. As mulheres podem ver a imagem por meio de uma TV, no andar inferior.

2 – The Weitzer Zawgyi Pagoda (Pagoda of Wizards and Necromancers) – Fica perto da esquina do sábado. Segundo a crença popular, ela foi construída com o uso de poderes sobrenaturais. Muitos a visitam frequentemente. Será que tem esses poderes também? Por via das dúvidas, não custa dar uma passadinha por lá.

3 – Shin Saw Pu (Shin Saw Bu)Localizada perto do Grande Sino do Rei Singu, na esquina Norte West de Shwedagon. Segundo a crença, ela pode conceder a realização de um desejo.

4 – Shin Ma Hti – A imagem desse Buddha está situada ao norte do altar da Naung Daw Gyi Pagoda.

5 – Shin Itzagawna – A imagem desse Buddha está localizada no lado sul da Pagoda Naungdawgyi. Essa imagem possui um olho diferente do outro. Um é de touro e o outro é de cabra. Segundo a lenda, ela perdeu os olhos e poderes mágicos lhes devolveram, só que um de cada animal.

6 – Sandawdwin Pagoda – Foi construída em cima do poço onde os cabelos de Buddha foram lavados antes de ser consagrado dentro da Shwedagon Stupa.

7 – Bo Bo Aung Shrine – Esse santuário fica no lado oriental da Pagoda Shwedagon.

8 – Kakusandha – A imagem desse Buddha fica no Hall de devoção oriental e se diferencia das demais porque está com a palma da mão direita voltada para cima.

9- Pyadashin Buddha – Fica ao sul do hall de devoção oriental.

Os fiéis geralmente vão para rezar, prestar homenagem a Buda, agradecer aos nats (espíritos), pedir um destino favorável ou absolvição dos seus pecados para renascer em melhores condições, segundo a crença budista. Para isso, realizam diferentes rituais, como fazer oferendas ou lavar o Buda correspondente ao dia da semana em que nasceu. Há um para cada dia. Lembrando que a quarta é dividida em dois dias (antes e depois do meio dia). É só procurar o seu para lavar.

Para visitar o complexo, é preciso estar convenientemente vestido e tirar os sapatos.

– Mandalay – Amarapura – Sedas de excelente qualidade.

Hnee Pagoda – Se visitar, não recuse o que é oferecido.

Um pouco mais?

http://www.whats-your-sign.com/burmese-zodiac-animal-signs.html

 

Taiwan

Informações básicas

CÂMBIO: 1 USD =30.1237TWD

http://www.xe.com/currencyconverter/convert/?From=USD&To=TWD

Tomada usada em Taiwan: 110V (TIPO AMERICANO)

Curiosidades e dicas

– Mercados noturnos – Merecem uma visita. Há de tudo um pouco.

– Whisky Kavalan – Vencedor de competições internacionais, o Kavalan levou quatro medalhas de ouro no International Spirits Challenge de 2017. A fábrica em Yilan foi aberta ao público em 2008, quando o Kavalan Classic foi lançado.

– Chás – Em Taiwan são encontrados excelentes chás, alguns melhores do mundo. Dentre eles, merece destaque o Bubble Tea – chá de bolhas ou chá perolado. Ele já chegou ao Brasil, mas é uma invenção de Taiwan. Trata-se de uma mistura de chá preto, leite e bolinhas de tapioca – feita a partir de uma espécie de batata doce. Por aqui, a bebida também é feita com sagu. O original tem sabor adocicado, refrescante e diferente por causa das bolinhas que chegam à boca a partir de um canudo mais gordinho. A Chun Shui Tang Cultural Tea House, em Taichung, é a casa que afirma ter inventado a bebida, nos anos 1980.

– Outros tipos de chá

Oolong Lishan, crescido em alturas acima de 2200 m perto da cidade de Lishan e Dongding oolong, produzido em torno da cidade de Lugu no coração do país, são considerados os melhores chás em Taiwan. Relativamente suave, Dongding oolong é secado por um breve período sobre um fogo de carvão, dando-lhe um sabor subtil fumado.  Beleza Oriental (dōngfāng měirén cha ou oolong apenas “branco”), crescida no Condado de Hsinchu e Miaoli e derivando seu sabor doce jovem deixa isso ter sido mordido por insetos minúsculos. Essa mordida começa a oxidação das folhas e adiciona o sabor doce e azedo característico.

Outros: Alishan, “chá de alta montanha” (chá de gāoshān), tiěguānyīn e bāozhǒng, o mais leve e mais floral (mais próximo ao chá verde). Taiwan também produz pequenas quantidades de chá verde (lǜ chá) e chá preto (hóng chá), especialmente em torno do Lago Sol e Lua.

– Se for convidado para a casa de alguém, é uma boa idéia levar um presente, geralmente algo simples como flores, uma lata de biscoitos ou bolachas ou uma caixa de chocolates.

– Antes de entrar alguém casa, sempre lembre-se primeiro de tirar os sapatos, mesmo que seu anfitrião inicialmente diga que não é necessário.

Superstições e Maus presságios – Para o visitante, um dos aspectos mais óbvios é a crença generalizada em maus presságios e os comprimentos a que muitos taiwaneses irão evitá-los.

Fazer comentários ou piadas que implicam morte ou desastre são quase certas eliciar visível se encolhe daqueles que estão ao alcance da voz e podem fazer algumas pessoas decididamente nervoso. Por exemplo, uma declaração aparentemente inócua como “ela vai se matará andar na frente de todo o tráfego,” pode implicar nas mentes de muitos taiwaneses que isso realmente vai acontecer. Isso é que não quer dizer que as pessoas aviso cuidado é tabu, mas sim para não acompanhar tal aviso com uma declaração do que poderia acontecer se ele não é atendido.

Ações que implicam a noção de que algo desagradável pode acontecer também extensamente são evitadas em Taiwan, o que ajuda a explicar por que tantos taiwanês se recusam a escrever a última vontade por medo de que tal ação poderá precipitar a sua própria morte. Dar a alguém um lenço como um presente, por exemplo, não é recomendado como implica que o destinatário pode ter em breve motivo para chorar. Da mesma forma, as coisas que são simbólicas da morte, como flores brancas – necessária nos funerais – devem ser evitados. Se você quer alguém dar flores, é melhor escolher outras cores.

Até mesmo palavras ou frases que lembram as pessoas da morte podem causar ofensa, com o mais óbvio destes sendo mispronunciations da palavra chinesa para “quatro,” () que disse no tom errado pode significar “morrer” (). Dar relógios como presentes também é impensável, como a frase de mandarim “para dar um relógio” (sòngzhōng) é a mesma que para “para um funeral”.

Soltar lanternas do céu é um ritual significativo em Taiwan e os lugares mais notáveis ​​para fazer que seria Pingxi e Shifen. É uma experiência divertida para a maioria dos visitantes de Taiwan (e os moradores também). Consiste em escrever seus desejos em uma lanterna que levaria suas orações para o céu. As lanternas do céu variam de NT $ 100 a NT $ 150 dependendo do número de cores escolhidas. Aparentemente, cada cor representa um desejo (por exemplo, vermelho = saúde e paz, amarelo = dinheiro sorte), quanto mais desejos você tem, mais você paga. Também pode-se optar por adicionar uma sequência de fogos de artifício na parte inferior de sua lanterna a um custo extra.

Enfim…. é isso aí por enquanto!

Na volta, espero contar tudo que vimos, experimentamos e conhecemos.

Boa viagem para nós!

“Daqui a vinte anos, você não terá arrependimento das coisas que fez, mas das que deixou de fazer. Por isso, veleje longe do seu porto seguro. Pegue os ventos. Explore. Sonhe. Descubra.” (Mark Twain)

Pensando nisso…. lá vamos nós…!

Regina

Férias 2016 – Japão e Dubai – de 03 a 21 de junho

Foto Blog_Mapa

Voltar ao Japão foi um presente que eu me dei.

Gostei de ter ido em 2013 e adorei ter voltado. Muitos me perguntam por que voltar a um lugar. Simplesmente… quando gosto muito de uma coisa, de um lugar e posso… por que não?

Além disso, a Ásia tem seus encantos e é muito difícil explicar com palavras o que sinto quando estou lá. Tenho certeza de que não moraria, mas voltarei sempre que tiver oportunidade.

O Japão, por exemplo, tem uma cultura milenar coexistindo com o que há de mais moderno em tecnologia e isso representa um contraste que agrada aos olhos. Muito me atrai sua diversidade cultural, os encantos naturais e a hospitalidade de seu povo.

Se fosse só isso, seria o bastante. Mas não é. Não é uma viagem qualquer. É quase uma lição de vida e um aprendizado.

Adoro isso!

Seu cartão de visitas, o Monte Fuji, é uma das paisagens mais conhecidas do mundo. Difícil achar alguém que o tenha visto em foto e que não sonhe conhecê-lo pessoalmente. Já vi e posso dizer que vale a pena! Não fui dessa vez, mas tenho muito viva a lembrança de quando o vi pela primeira vez. Uma sensação gostosa, de realização.

Cada lugar que conheço representa um sonho realizado. E, quando volto, as sensações são indescritíveis. Muito bom!   

Dessa vez passamos por templos e santuários milenares, por diferentes e atraentes locais, conhecemos um pouco mais da sua gastronomia, aproveitamos cada minuto da nossa estadia e tivemos dias maravilhosos que valeram cada centavo investido.

Saímos do Brasil na madrugada do dia 02 de junho com destino a Tokyo. Um grupo retornou dia 18/06 e os demais voltaram dia 23/06.

Fiz parte do segundo. Optamos por parar em Dubai por três dias, uma parada estratégica e gostosa porque acertamos nosso fuso e, de quebra, conhecemos um lugar reconhecidamente grandioso, totalmente construído pelas mãos do homem. Há quem diga que é falso, se olhado com desdém, e há quem admire a força do homem de fazer brotar água no deserto. Para quem acredita, como eu, que é possível “mover montanhas quando realmente desejamos”, fico com a segunda versão.   

Férias 2016 – O grupo

11-06-2016_okhotsk-ryu-hyo-museum_03-grupo

Em primeiro lugar, obrigada a todos pelo carinho e por contribuírem para que minhas férias fossem maravilhosas, mais uma vez.

Como disse antes de ir, estou voltando para o Japão com parte do grupo que foi da primeira vez. Alguns não puderam ou não quiseram ir e outros se agregaram a nós.

Mais uma vez Huang e Tsai foram os organizadores e a viagem superou minhas expectativas nessa nova jornada do outro lado do mundo.

Éramos 15. Além de Huang e Tsai (Tony, para nós), Nathalia, Kingiro, Sílvia, Darcy, Dorly, Kátia, Solange, Braga, Vani, Márcia, Walter, nosso guia – ChihYao Hsieh e eu.

O que dizer sobre meus companheiros de viagem?

ChihYao Hsieh (nome impronunciável) foi nosso guia no Japão. Ele nos acompanhou o tempo todo. Natural de Taiwan, falava com Huang e Tony e eles traduziam para nós o que ele dizia. Quando precisávamos, nos comunicávamos em inglês. Ele também gosta de cantar, aprecia nossa música e nos mostrou uma delas que apresentou no coral de que faz parte. Apesar da barreira da língua, deu para interagir bastante conosco.

 Nathalia e Kingiro

Maravilhosos! Sabe aqueles casais que parecem uma só pessoa quando estão juntos e, quando separados, têm características que nos encantam?

Kingiro é um amor de pessoa. Sempre prestativo, solícito e discreto. Nunca reclama de nada. Já viajamos juntos várias vezes e a primeira vez que ouvi uma reclamação da parte dele foi agora, por causa da “manicure das meninas”. Com razão, diga-se de passagem. Tem alergia por acetona.

Nathalia, com seu jeitinho doce, tem um senso de humor interessante. Nos faz rir sempre. Além disso, sempre nos socorre com uma bolachinha na hora da fome ou uma palavra amiga quando precisamos.

Dessa vez, me socorreu, também, com um xarope maravilhoso que fez passar uma tosse horrível que insistia em tomar conta de mim. Saí daqui tossindo muito e ela, generosamente, me deu o vidro inteiro logo no início da viagem. Em dois dias, eu estava ótima. Em tempo, Nathália é médica!

Ah! Recadinho para você, Nathália: Agora, só de vez em quando choro quando escuto “Meu primeiro amor”. Até isso você me ajudou a superar! KKK

 Solange e Braga

Casal 20. Estão sempre juntos. Quase nem conseguimos registrar fotos separadas deles.

São muito companheiros um do outro e da gente também.

Solange é mais tímida ou quieta. Cuida do Braga como ninguém. Também é visível o carinho dele para com ela.

Braga é mais conversador e participa sempre dos nossos momentos de relax. Canta, escolhe músicas, interage com o grupo, participa de tudo e está sempre de bom humor.

Muito bom viajar com vocês, Solange e Braga!

 Darcy e Dorly

Dois irmãos.

Conhecia Darcy de outras viagens. Dorly, conheci nessa.

Gosto do Darcy e agora passei a gostar do Dorly, também. São ótimos.

Eu e o Darcy já dividimos excelentes momentos. Só que dividir, mesmo, a gente divide comida. Ele come de tudo! E não engorda!!! Como eu não gosto de muita coisa, sempre passo para ele parte do meu almoço ou jantar.

Conversar com ele rende bom aprendizado porque viaja muito, conhece especiarias como ninguém e não economiza informações. Excelente companheiro!

Dorly é um doce de pessoa.

Casado com a Nara, mas viajou sozinho, dividindo quarto com o Darcy.

Também excelente companheiro de viagem!

Pela primeira vez no grupo, parecia ter estado sempre na turma. Integração total!

Como gosta de tudo sempre muito bem feito, nem me preocupei com fotos e registros das informações. Ele, Darcy, Kátia e Tony fizeram isso com a maior competência.

Adorei ter a companhia de vocês, Darcy e Dorly!

 Walter

Excelente companheiro de viagem e um grande amigo. No grupo pela primeira vez, demorou um pouquinho para perder a timidez.

Compartilhamos muitos momentos e, sempre que precisei, tive seu total apoio.

Acho que gostou de estar conosco e a recíproca é verdadeira.

Se resolver se juntar ao grupo novamente, tenho certeza de que vai aproveitar cada vez mais, já que ele também gosta muito de viajar.

Espero que tenhamos outras oportunidades de viajar juntos, Walter.

Vani

Vani é uma pessoa maravilhosa. Calma, tranquila e companheira.

Gosta muito de registrar por onde passamos e repassa tudo para a família. Acho que eles viajam conosco.

Já viajamos juntas uma outra vez e ela é sempre assim, muito dócil.

Vivemos prometendo nos encontrar depois da viagem e nunca dá certo.

Não é por falta de vontade, Vani. É falta de tempo mesmo! Precisamos nos esforçar. Afinal, moramos na mesma cidade.

 Kátia

Kátia e eu temos uma grande afinidade. Além do gosto pela mesma loja de roupas, damos boas risadas quando estamos juntas.

Excelente pessoa, divertida e companheira. Sua alegria é contagiante e ajuda a animar o grupo.

Kátia também prima por registrar nossa viagem com muita competência.

É sempre um prazer viajar com você, Kátia.

Márcia

Márcia e eu estreitamos laços de amizade nessa viagem, a segunda que fizemos juntas.

Dessa vez, tivemos tempo e oportunidade para isso porque ela viajou sozinha. Além de divertida, um doce de pessoa.

As fotos falam por si. Não preciso gastar o verbo tecendo elogios a ela, que merece todos.

PS – Pensei muito na sua sugestão, Márcia. Aquele tipo de turismo que você sugeriu em Dubai até que não soa de todo ruim. Lembra??? KKKK. Qualquer dia te visito aí em Goiânia para combinarmos.

  Sílvia

Sílvia é hors concours.

Minha eterna companheira de quarto e parceira de viagem mesmo quando não dividimos o mesmo espaço.

Antes de ir, trocamos figurinhas a respeito do que levar. Quando eu escrevia alguma coisa durante a viagem, nada podia ser publicado sem a sua “censura prévia”.

Agora, ainda peço seus palpites, quando necessito.

Ela nos encanta sempre com a sua música. Tem coisa melhor do que viajar e se divertir com o que vê e com o que faz? Sílvia contribui muito para isso.

Entre uma atração e outra, ela puxa o coro e, juntos, cantamos, também. Até os homens, normalmente mais tímidos, participam.

Muito bom ter a sua companhia, Sílvia.

Huang e Tony

Nossos organizadores, amigos e companheiros.

Tony é um amor de pessoa, serve de tradutor e nos passa as informações de que precisamos. Ele é muito competente no que faz.

Huang organiza tudo antes para que, durante a viagem, só tenhamos que usar o tempo para aproveitar. Não gastamos um minuto para decidir algo. Tudo está planejado.

Só que Huang não é apenas organizadora. Ela é amiga, companheira etc, etc, etc.

Como dizer tudo que ela é?

Adoro Huang. O carinho dela me faz bem. Não posso dizer pelos outros porque isso é pessoal, mas acredito que todos se sentem assim em relação a ela.

Huang passa uma segurança incrível para nós porque está sempre atenta ao que precisamos.

Precisa de remédio? Ela tem.

Está com fome? Sempre tem alguma coisa a oferecer.

Está carente? Ela tem uma palavra amiga.

Não precisa de nada? Você sente que ela está presente para ajudar, se precisar.

Ela cuida da gente e é muito bom sentir isso.

E não é só durante a viagem. Antes e depois esse carinho existe e é sincero.

Até parece que tem bola de cristal. Um dia eu estava triste, muito triste, me sentindo muito sozinha e fui acordada por ela, às 9h da manhã de um domingo, perguntando se eu queria passar o dia na praia. Ela me fez acordar para a realidade. Eu não estava só. Tenho amigos!

Obrigada, Huang! Você é uma pessoa especial.

Férias 2016 – Momentos de descontração

Sintonia total nos momentos de descontração

 Conversar, cantar, exercitar (quem não se lembra do taichi da melancia?)  e rir, rir muito, fazia com que os momentos entre um lugar e outro não fossem percebidos. Até dormíamos. Pouco. Na maior parte do tempo, estávamos fazendo alguma coisa juntos.

Nossa cantora oficial, a Sílvia, mais uma vez nos encantou e comandou a festa. Katia fazia a sua parte como locutora e se saiu muito bem. Quem queria, se arriscava e cantava junto com a Silvia. Quem não queria cantar, só ouvia ou participava pedindo músicas.  Que eu saiba, ninguém se sentiu incomodado.

A única exceção foi quando as “meninas” resolveram aproveitar um desses momentos para retocar as unhas. Chiadeira geral dos homens alérgicos à acetona. Isso não impediu nossa tarefa, mas tivemos que abreviar essa etapa para não causarmos transtorno para alguns.

Férias 2016 – Aniversariantes do mês

8 de junho – Aniversário do Walter.

Tímido, não queria que soubessem dessa data tão importante. Não deu para não comentar com os demais. Sem grandes comemorações, aparentemente foi um dia como outro qualquer. Aparentemente … posso apostar que foi muito diferente para ele. Afinal, não é sempre que se comemora aniversário do outro lado do mundo, fazendo o que gosta. Precisa de festa?

Parabéns, garoto!

foto-niver-walter_03

10 de junho – Meu Aniversário

Pela segunda vez comemoro essa data fazendo uma das coisas de que mais gosto – viajando. E o que é melhor……entre amigos. Foi um dia especial. Não teve festa nem grandes comemorações, mas teve o principal…. algo que guardo lá no fundo do coração….

Além disso, mais uma vez, por causa do fuso, tive um aniversário com muitas horas a mais. Ainda bem que foram só horas. rsrsrs 

Naquele dia eu escrevi assim:

Cada viagem é uma experiência única. Bons momentos, boas companhias, boa comida e lugares incríveis são ingredientes que, juntos, resultam nessa maravilha que é a vida seguindo seu curso.

Não dá para descrever os momentos de paz que eu sinto quando rimos das nossas besteiras, quando cantamos juntos e quando vivemos cada momento.

Hoje é um dia especial para mim porque é meu aniversário. Mais uma vez passo com amigos queridos, num lugar que estou vendo pela primeira vez. Que privilégio!

Como não agradecer esse presente do Papai do Céu?

Amo muito tudo isso. Para mim, representa vida, liberdade e prazer.

Tenho certeza de que um dia, se em algum momento a tristeza bater à minha porta, vou lembrar que é apenas um momento, que já vivi outros maravilhosos. Vou lembrar, principalmente, que a felicidade existe e que eu posso ser feliz. Só depende de mim.

fb_img_1465506108260

Férias 2016 – Japão -Pequenos detalhes

Vimos por lá

Algumas vezes esquisitices para nós, comuns para eles, a cada dia descobríamos uma coisa diferente. Impossível lembrar de todas, até porque há muitas que vemos e que não sabemos o que é nem para que serve. Sem falar e ler japonês, tenho certeza de que perdemos não digo o melhor da história, mas boa parte dela. Infelizmente, é assim. Só que, como nem tudo depende da língua, descobrimos coisas dignas de serem colocadas em almanaques. kkkk

Cotonete com coçador de ouvido. Conhece? Pois bem, existe e é muito incômodo coçar o ouvido com ele.

cotonete-com-cocador-de-ouvido

 

Palito de dente com suporte. É só quebrar a pontinha e colocar o palito para descansar. Já é feio usar palito…. conservar o usado, então….

palito-com-suporte

Casquinha de sorvete com borda aparadora de pingos. Uma beleza! Mãos meladas nunca mais. Lá, pelo menos!

ice-cream

Touca para proteger roupa. Em todas as lojas, ao provar uma roupa, ganhamos uma touca que serve para não deixarmos marcas de pó nem de batom na roupa. São higiênicas.

protetor-de-roupa

Vasos sanitários de todos os modelos e sempre muito confortáveis, até com musiquinhas para abafar sons especiais (dá para imaginar quais são, não é?). Tem por lá, mas o preço é bem salgado.

Banheiro oriental – no lugar de vaso sanitário, um buraco. Não um buraco qualquer. Difícil descrever. Fácil de entender e de usar quando se vê.

Instruções para agir em caso de terremoto. Em todos os lugares, escritas em japonês e inglês. Sabe o que isso significa? Muitos terremotos por lá. Ainda bem que não vimos nenhum… por pouco. Quando aconteceu, tínhamos acabado de sair do lugar.

Marimo – uma alga em formato de bola, verde.  – existe em três lugares no mundo. Tivemos o privilégio de passar por um deles.

Detalhe interessante: o quimono deve ser vestido com a parte direita sobre o corpo e então sobreposta com a parte esquerda. A parte direita sobre a esquerda é usada apenas para os mortos.

Yukata, roupa apropriada para se dirigir a um onsen (fonte de águas termais naturais). Yukata é um quimono casual. Seu nome vem da palavra yu (banheira) e katabira (roupa de baixo), ou seja, roupa de banho. Tal vestimenta é usada tanto por homens, mulheres e crianças.

yukata_japanese

Sabe o que é pensar em tudo, tudo mesmo? Acho que os registros abaixo mostram o respeito ao consumidor. No restaurante The Brasserie, em Osaka, cada prato servido possui o nome em Japonês e em Inglês. Como se não bastasse, cada ingrediente usado no preparo está devidamente registrado por meio de desenho. Dá para falar que não houve comunicação? Claro que não é assim em todos os lugares… afinal, perfeição não existe, mas não deixa de ser um grande exemplo. Ainda assim, insisto na pergunta: does it have onions? Precisa? Coisa de brasileiro!

Férias 2016 – Cenas do cotidiano

Cenas do cotidiano

Antes de falar um pouquinho sobre os locais por onde passamos, acho interessante mostrar alguns aspectos que observamos e que nos chamaram a atenção porque os japoneses imprimem a sua marca numa situação que é absolutamente rotineira em qualquer lugar.

Em Tokyo, tanto no burburinho de Shinjuku, quanto na calmaria que reina em algumas ruas, não deixamos de observar a obediência às regras de trânsito para carros e ciclistas. Semáforo foi feito para ser respeitado e os pedestres sabem disso. Quando algum desavisado tenta invadir a pista do ciclista, sempre há um guarda de plantão para lembrá-lo da infração.

Lá, idade não é problema. Vimos muitos idosos trabalhando. Se por opção ou necessidade, não sei. Parece que eles não são marginalizados por causa da idade

Como em todos os lugares, o celular domina a cena. Impressionante!

Durante um jantar, vivi um momento hilário com uma japonesa. Queríamos adoçante e ninguém tinha conseguido se fazer entender. Fui arriscar uma última tentativa. Depois de mímicas e muita conversa desencontrada, ela entendeu e comemorou tão efusivamente que eu entrei na brincadeira, o que resultou nas fotos abaixo. Elas não representam nada perto do que foi….Que sensação gostosa interagir dessa forma! Momentos como esses já valem a viagem.

 

Em Kyoto, vivemos algumas experiências interessantes como fazer um curso de doces e alugar a veste tradicional deles para termos nosso dia de Gueixa (as mulheres) e de Samurai (os homens). Ainda que não tenhamos nos caracterizado totalmente, não tínhamos tempo para isso, valeu passar o dia com o traje típico. Isso nos aproximou muito dos japoneses. Acho que eles se sentiram homenageados pelo grupo de ocidentais que desfilavam pela cidade rindo, tentando andar com aqueles chinelinhos nada confortáveis. Enfim, fizemos o possível para não decepcioná-los e nos divertimos bastante.

Não fizemos feio no curso de doces. Impossível chegar perto da performance deles, mas tentamos. Podemos dizer que lembraram o modelo. Valeu a experiência!

Férias 2016 – Japão – Gastronomia

Gastronomia

A gastronomia japonesa é riquíssima e cara. Um melão pode ser um presente. Uma manga também. É comum vermos frutas apresentadas em caixas para presente para serem ofertadas a clientes ou amigos. Em lojas gourmet, um cacho de uva pode passar de 200 dólares. Uma pechincha!!!!

Tudo lá é muito bem apresentado. Bolachas, balas e muitas outras coisas são embaladas individualmente. As caixas são decoradas e acomodam o conteúdo de forma a preservá-lo.

Nos restaurantes, a variedade impressiona. Para quem gosta da culinária japonesa, é um deleite participar de uma refeição típica.

Confesso que não é o meu forte, mas não deixo de admirar tamanha competência na arte culinária. Sim…. muitas vezes, uma verdadeira obra de arte.

Hokkaido é um caso à parte. Parte da sua gastronomia atrai até mesmo aqueles que, como eu, não são fãs da comida japonesa. Em Hokkaido, algumas convicções mudam de figura. Em cada parada que fizemos, uma nova descoberta. Não dá para descrever o sabor do milho, do melão, do aspargo, do sorvete, do chocolate, do cookie e de todas as guloseimas feitas de algas. Algas! Detestava antes de experimentar os salgadinhos feitos com elas.

Nos restaurantes por onde passamos, o pessoal também se deliciou com tudo que foi servido. Confesso que não consigo gostar quando a comida é muito típica. Elas rendem fotos belíssimas, mas o sabor… para mim…. não dá.

Comi bem em muitos lugares, não posso me queixar, principalmente em Hokkaido, cuja gastronomia prima por produtos frescos, bem ao sabor ocidental.

De todos os restaurantes por onde passamos, vale registrar, com detalhes, aquele que mais deixou saudade. Foi um almoço que fizemos num pequeno hotel perto de Biei, com apenas 5 quartos, o Bi-Blé Hotel. Para visitantes, o restaurante serve apenas almoço ou jantar. O café da manhã é restrito aos hóspedes.

O restaurante tem o mesmo nome do hotel – Bi-Blé Restaurant. Nós tivemos o prazer de almoçar lá. Nunca tomei uma sopa creme de milho tão gostosa. Não fica atrás o pão de batata, servido embrulhado num guardanapo. O hotel possui uma padaria, cujos pães agradam a todos os nossos sentidos e o restaurante serve produtos frescos, de acordo com a estação, colhidos nos seus campos. Tivemos a sorte de passar por lá no auge da produção de aspargo e de milho. Indescritível o sabor de ambos. Foram servidos muitos pratos, em pequenas porções, de modo que pudemos degustar verdadeiras delícias produzidas no local. Um banquete que recomento a quem tiver a oportunidade de passar por lá.

Quer saber mais?

http://www.japan-guide.com/chottozeitaku/160609.html

http://bi-ble.jp/