Férias 2017 – 05 de junho – Bagan

05-06-2017 – segunda-feira

 Levantamos às 5h, tomamos café às 5h30 e às 6h já estávamos no ônibus com destino ao aeroporto. Embarcamos para Bagan às 7h30. Tudo muito corrido para aproveitarmos bem o tempo.

O dia amanheceu com sol e calor, bem diferente do dia anterior.

Decolamos no horário previsto para um voo de apenas 1h20. No trajeto, foi servido um lanche e a viagem transcorreu sem problemas. Só depois li na internet que viajar de avião pelo Myanmar não é muito seguro e que acidentes fatais ocorrem todos os anos. Ainda bem fiquei sabendo disso depois e que estou tendo a oportunidade de relatar a viagem já em terra firme, no Brasil.

Chegamos no horário previsto a Nyaung-U Airport, aeroporto de Bagan – https://www.skyscanner.net/airports/nyu/nyaung-u-airport.html .

Com sol e calor iniciamos nosso tour pela cidade. Fomos direto à Shwezigon Pagoda – https://www.youtube.com/watch?v=O5SYw9JpVloum dos destinos sagrados da região. Diz a lenda que o local da sua construção foi escolhido por um elefante branco, um animal bastante raro e considerado sagrado, de propriedade do Rei Anawrahta.

Ao fazer a visita seguindo no sentido horário, como é tradição, tivemos a oportunidade de apreciar a sua beleza de todos os ângulos e de ver a representação dos 37 espíritos (Nats), provavelmente, o aspecto mais significativo da história de Shwezigon, um foco central da religião birmanesa antes da chegada do budismo.

No país, “O budismo, religião majoritária – quase 90% dos habitantes – foi fundido com crenças ocultistas.

Eles misturam a veneração a Buda com a adoração de espíritos – incluindo 37 ‘grandes espíritos’. A maioria deles foram seres humanos que morreram violentamente e possuem um ‘grande poder’. Também são invocados os espíritos associados com árvores, água, montanhas e outros aspectos da Natureza”, afirma um relatório da Christian Aid. Por isso, quando algum cidadão começa a falar que Jesus é o maior espírito de todos, isso irritaria os espíritos adorados pelos birmaneses.”

De quebra, aproveitei para reverenciar “meu buda”, aquele que representa o sábado, dia em que nasci.

Depois fomos conhecer Gubyaukgyi Temple (Wetkyi-in), Gu Byauk Gyi – https://www.renown-travel.com/burma/bagan/gubyaukgyi-temple.html – De influência Indiana, foi construído no início do Século 12 pelo Rei Kyanzittha. Considerado um templo de caverna, possui uma estrutura diferente das demais. Ele é de pedra, com luz natural vinda de grandes janelas. Nele pudemos ver alguns murais que retratam cenas do Jataka, as histórias que falam sobre as vidas anteriores do Buda.

Como é proibido fotografar lá dentro, temos poucos registros que só foram conseguidos porque burlamos a vigilância.

Em seguida, fomos conhecer a Bagan Househttp://www.baganhouse.com/ – uma fábrica de laca, um dos artesanatos mais famosos do país. Produtos belíssimos.

Trabalhando em péssimas condições, sob um calor terrível, homens e mulheres produzem peças maravilhosas, vendidas a preços nada convidativos. Está certo que elas passam por muitas etapas e requerem muito trabalho. Segundo o guia, leva quase seis meses para uma peça ficar pronta. Tendo em vista a quantidade de produtos em exposição, dá para perceber que vimos uma amostra do processo de fabricação. Na minha opinião, os trabalhadores poderiam estar em melhores condições. Dá a impressão de ser um trabalho escravo.

Para se ter uma ideia de preço, uma petisqueira pequena custa mais de 150 dólares. Caixinhas pequenas podem ser compradas por 20, 30 dólares.

Pena que fomos lá no início da viagem. Se tivéssemos ido no fim, apesar do preço, eu teria comprado umas coisas de que gostei. Não as achei em outro lugar e produtos semelhantes não tinham a mesma qualidade. Vale a dica. Gostou? Se puder, leve.

De lá, fomos almoçar no Sunset Garden Riverside Restauranthttps://www.facebook.com/pages/Sunset-Garden-Restaurant-Bagan-Myanmar/446090522078026?nr . Comida gostosa. O peixe fez sucesso total. Delicioso.

Por causa do calor, a recomendação é ir para o hotel depois do almoço e continuar os passeios quando o sol já não está tão forte. Foi o que fizemos.

Foi uma bênção chegar ao Aureum Palace Resort & Hotelhttp://aureumbagan.htoohospitality.com/ depois daquele calor imenso.

Às 16h30 saímos novamente para conhecer o Ananda Phaya Templehttp://bagan.travelmyanmar.net/ananda-temple.htm – um dos quatro maiores do sítio arqueológico de Bagan.

Ananda é um templo budista construído em 1.105 d.C. durante o reinado do rei Kyanzittha, da dinastia Pagan. É um dos quatro maiores templos em Bagan.

A disposição dele é cruciforme, com vários terraços que conduzem a um pequeno pagode no topo, coberto pelo hti, que é o nome do guarda-chuva ou enfeite encontrado no topo de quase todos os pagodes do Myanmar.

O templo possui quatro Budas em pé, cada um voltado para os quatro pontos cardeais – norte, sul, leste e oeste. Ananda é uma fusão do estilo da arquitetura Mon e Indiana e é considerado uma maravilha arquitetônica.

Parcialmente destruído pelo terremoto de 1975, foi totalmente restaurado. Hoje é um dos templos altamente reverenciados de Bagan.

Lenda

Segundo a lenda, a imagem do Buda que fica no lado leste está segurando algo que se assemelha a uma pílula, simbolizando os ensinamentos do Buda para a cura dos sofrimentos. Ensinamentos de Buda – http://revistaepoca.globo.com/Epoca/0,6993,EPT553084-1655-2,00.html

Também é dito que o Rei mandou construir Ananda porque ficou fascinado com as histórias contadas por alguns monges que um dia apareceram no palácio. Tamanho foi o misticismo que eles passaram ao rei que ele quis construi-lo no meio das planícies de Bagan.  Após a sua construção, o rei executou os arquitetos apenas para torná-lo único no seu estilo – http://www.sacred-destinations.com/burma/bagan-ananda-pahto-temple

Na sequência, fomos a Shwesandaw Pagodahttp://www.gandawunshwebagan.com/bagan/shwesandaw-pagoda.htmlhttps://www.youtube.com/watch?v=sfEW6Q7S0kw  –  ver o pôr do sol.

Shwesandaw Pagoda é uma das mais altas de Bagan. Também conhecida como Ganesh ou Mahapeine, tem cinco terraços originalmente adornados com belas placas de terracota que retratam cenas do Jatakas – http://www.revistas.unilasalle.edu.br/index.php/Mouseion/article/view/27 –  http://www.mitografias.com.br/2015/11/contos-jataka/  – Jataka é um conjunto de 547 histórias extremamente populares relativas aos nascimentos anteriores de Buda. Esses contos estão preservados em todos os ramos do budismo.

Ver o pôr do sol do alto dos seus terraços é uma das suas maiores atrações. Foi o que fizemos. A visão que se tem é linda.

Com aquele calor intenso, não sei dizer se é mais difícil subir ou descer. Só sei que vale a pena o esforço.

Ainda de pernas bambas, fomos jantar no Restaurante Nandahttps://www.justgola.com/a/nanda-restaurant-and-puppet-show-4698324  – O show de marionetes foi razoável, diferente da forma a que estamos acostumados ver, e a comida muito mais interessante do que gostosa, mas eu comi bem. Serviu até de inspiração para comprar aquelas petisqueiras da fábrica de laca. Tarde demais…. Já tínhamos passado por ela e não tínhamos como voltar.

Ir para o hotel e curtir um pouquinho o bar foi uma ótima pedida, antes de dormir. Nem sempre dá para aproveitar tudo que o hotel oferece, mas ficar bem já satisfaz o corpo e a mente depois de um dia cansativo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *