Férias 2017 – 19 de junho – Taiwan (Jintong – Shifen – Fulong Beach) – Dubai

19-06-2017 – segunda-feira

Depois do café da manhã, fizemos checkout, deixamos nossas malas de mão num quarto do hotel e às 7h30 saímos para os últimos passeios que não tinham sido feitos no primeiro dia por causa da chuva.

Que decisão acertada! Foi o único dia em que vimos o sol!

Em Taiwan há muitas festividades e uma delas é a exibição pública de lanternas de papel que acontece em algumas cidades, quando elas são lançadas para o céu. Uma das mais famosas ocorre durante o Festival das Lanternas Celestial, em Pingxi.

Apesar de o festival acontecer por ocasião da celebração do Ano Novo Chinês, a prática de soltar balões permanece durante o ano todo e atrai milhares de turistas que acreditam estarem lançando a sorte quando soltam balões carregados de desejos que querem ver realizados.

Conosco foi assim também. Não podíamos perder a oportunidade de fazer uma fezinha, não é?

E lá fomos nós.

Às 8h50 chegamos a Jintong, um pequeno povoado que fica no Distrito de Pingxi District https://guidetotaipei.com/visit/pingxi-%E5%B9%B3%E6%BA%AA , Nova Taipei, Taiwan, onde pegamos um trem para irmos a Shifenhttps://www.youtube.com/watch?v=YyTeHP0egDg  soltar os balões. A viagem durou 20 minutos. No meio do caminho, paramos em algumas estações – Pingxi, Lingjiao, Wanggu e Shifen, onde descemos.

O lugar é lindo. Comprar o balão (150 Y), escrever os pedidos e soltá-lo foi uma aventura ímpar.  Só o fato de ter a oportunidade de fazer isso já vale. Se os desejos forem realizados, melhor ainda. Para nossa sorte, o tempo ajudou. Adorei o lugar.

Uma hora depois o ônibus foi nos buscar e, de lá, fomos até Fulong Beach, também conhecida por Fulong Bathing Beach.  –  Estava acontecendo a exposição de esculturas na areia – Fulong International Sand Sculpture Art Festivalhttp://events.necoast-nsa.gov.tw/SandArt17/en/index.html . Que beleza!

Vimos delicadas e também monumentais esculturas de areia, talhadas por mãos habilidosas, de diversos artistas. Um festival que acontece todos os anos e que tivemos a oportunidade de ver o resultado do trabalho maravilhoso que foi realizado em 2017.

A parada seguinte foi para almoçar.  Restaurante especializado em frutos do mar. Aparentemente, um lugar muito simples, mas até o salmão tinha a procedência certificada – Cooke Acqua Culture Scotland – http://cookeaquaculturescotland.com/.

Em seguida, voltamos para Taipei. Chegamos por volta das 14h. Resto do dia livre até às 18h, horário de ir ao aeroporto pegar o voo para Dubai. Pouco fizemos durante essa espera. Eu fui dar uma volta perto do hotel.

Huang conseguiu late checkout para que pudéssemos tomar banho antes da viagem. Por volta das 18h, saímos do hotel e às 11h30 embarcamos para Dubai, nossa próxima parada.

Mr. Shao, nosso guia de Taiwan, esteve conosco até a chegada ao aeroporto e Huang ficou até embarcarmos.  Ela permaneceu em Taiwan com a filha Ya Min.

Fim da excursão??? De certa forma, embora o resto do grupo tenha seguido junto para Dubai.

Férias 2017 – 20 e 21 de junho – Dubai

20 e 21-06-2017 – terça e quarta

Chegamos muito cedo e o transfer que havíamos contratado já estava nos esperando. Fomos recebidos pela equipe do Arabian Adventureshttps://www.arabian-adventures.com .

Fizemos todo o planejamento antes de embarcarmos para Myanmar e recebemos o visto poucos dias antes de chegarmos a Dubai.

Sem maiores problemas, saímos do aeroporto direto para o Sofitel Downtown Hotelhttps://www.accorhotels.com/pt/hotel-7492-sofitel-dubai-downtown/index.shtml .

Muito bom e bem localizado, o hotel proporcionou outros atrativos que nos fizeram esquecer a programação que tínhamos anteriormente e que foi preciso ser abortada por razões alheias à nossa vontade.

Por ser a segunda vez na cidade de Dubai e por estarmos a curta distância do maior shopping do mundo – Dubbai Mallhttps://thedubaimall.com/ – os dois dias passaram voando. Ainda assim, deu para aproveitarmos o finzinho das férias curtindo momentos gostosos. Shopping, passeios turísticos ou apenas andar sem compromisso foram as escolhas do grupo. Cada um decidiu pela melhor forma de passar aqueles dias.

Éramos 7. No primeiro dia, apenas eu não quis subir no Burj Khalifahttp://www.burjkhalifa.ae/en/index.aspx – Preferi andar pelo Shopping para conhecê-lo um pouco mais. Ele é tão grande que é impossível explorá-lo em dois dias. Tirei um para conhecer parte dele.

Depois da visita, alguns voltaram para o hotel e outros foram jantar e ver o show das águas dançantes. Como o Mall possui wi-fi, ficou muito fácil nos comunicarmos.

No dia seguinte, quatro foram para Abu Dhabi. Walter resolveu fazer o tour pela cidade e Sílvia e eu fomos explorar os mercados.

Que calor!!!!

Apesar disso, andamos muito pelo Gold Soukhttps://www.visitdubai.com/en/pois/the-gold-souk/?utm_source=google&utm_campaign=local_search&utm_medium=organic e adjacências. Fomos driblando o calor e conhecendo um pouco de cada coisa.

Também fizemos comprinhas. Não de ouro, claro. Peças bonitas, mas caríssimas. Descobrimos um centro atacadista de coisas para casa e nos divertimos por lá.

Não é um lugar para ficar muito tempo, principalmente em junho porque o calor é terrível. Além disso, estávamos no Ramadã e precisávamos respeitar os costumes locais.

“Ramadã é o nono mês do calendário islâmico, no qual se acredita que o profeta Maomé recebeu a revelação da parte de Alá (como os muçulmanos denominam o Deus Todo-Poderoso), dos primeiros versos do Alcorão.

O jejum do Ramadã é um dos cinco pilares da fé islâmica e é obrigatório para todos os seus seguidores. Trata-se de um tempo especial em que os muçulmanos se reúnem em oração e é considerado uma oportunidade especial para reviver, renovar e revigorar sua prática de fé.

A palavra Ramadã tem origem na palavra árabe “ramida” que significa “ser ardente”.

O jejum é feito por cerca de 29 dias entre o nascer e o pôr do sol. O dia começa com o suhoor, uma refeição feita ainda de madrugada, e termina com o iftar, a refeição que quebra o jejum do dia. É um momento de celebrar com a família e os amigos, ocasião em que pessoas de outras religiões podem ser convidadas a participar. Se alguém comer, beber ou tiver relações sexuais durante esse período, deverá alimentar 60 pobres ou jejuar por 60 dias.

….

Em muitos países do mundo muçulmano, não praticar o jejum ou comer na frente de alguém que está jejuando é uma falta grave.”

Em vista disso, ao ar livre não podíamos beber ou comer. Sede? Fome? Só em lugares fechados, longe dos olhos dos praticantes, em sinal de respeito.

Que alívio quando entramos no táxi que nos levou de volta ao hotel! Poucas vezes na vida fiquei tão feliz com um ar condicionado. Aquele pareceu nos levar ao paraíso, tamanho alívio que sentimos.

No final da tarde deu para aproveitar um pouquinho a piscina e à noite cada um fez o que quis.

Walter e eu optamos por jantar no hotel para descobrirmos o que estava acontecendo por lá. Tinha uma espécie de festa. Não entendemos bem. Por causa do Ramadã, eles comeram logo depois do fim do jejum e iriam voltar mais tarde. Tinha muita gente. Parecia ser uma festa de casamento onde podia entrar quem quisesse. Nos deram uma explicação que não fez muito sentido. O jantar foi razoável, eu diria. Valeu para conhecermos.

Férias 2017 – 22 de junho – Dubai – São Paulo

22 de junho – quinta-feira

Logo cedo, saímos do hotel em direção ao aeroporto para pegarmos o voo de volta para o Brasil.

Por causa do fuso de 9 horas de diferença entre os dois países, saímos de lá às 8h35 do dia 22 de junho e chegamos no mesmo dia às 16h30 em Guarulhos, São Paulo, depois de quase 15 horas de viagem.

O que dizer depois desses 20 dias viajando por 3 países tão diferentes entre si?

Começaria tudo outra vez…..

Até a próxima!