Férias 2019 – Uzbequistão – Tashkent – Quirguistão – Bishkek – 12 e 13 de junho

 

 

Que diferença! Tashkent é uma cidade grande, também possui edificações tão importantes como aquelas que vimos em outros lugares, mas é uma cidade mais industrial e moderna, apesar de ter cerca de 2.000 anos. Boa parte da sua economia gira em torno do plantio do algodão. Possui indústria têxtil, alimentícia, de produtos químicos e de aviões.

Foi reconstruída depois do terremoto de 1966, que destruiu que boa parte da cidade.

Na parte antiga da cidade, visitamos o coração espiritual de Tashkent, com seus muitos monumentos históricos e escolas que ensinam o Alcorão.

 

De todos artesanatos que vimos, o que mais chamou a atenção foi o porta-corão de madeira que também serve para segurar livro ou qualquer outra coisa que se adapte a ele. Diz-se que pode assumir cinco posições diferentes. Você encaixa as peças móveis e o porta-corão fica mais baixo, mais alto, maior ou menor. O vendedor ensinou como mexer as peças para colocar o objeto nas cinco posições. Comprei um, mas precisa treino para conseguir as posições que ele ensinou. É desafiador. Pelo que li, “colocar o objeto nas cinco posições o transforma numa espécie de mandala. Ou seja: antes de ler o Corão, o estudante de lei islâmica pode refletir sobre o poder de Alá percebendo os sutis movimentos e angulações do porta-corão e ser inspirado pelos seus mistérios. Sim. Uma técnica sufi de iluminação”. https://www.digestivocultural.com/colunistas/coluna.asp?codigo=1133&titulo=Um_brasileiro_no_Uzbequistao_(III)

 

Khast Imam Square – As mais importantes figuras da cultura e da religião do Uzbequistão estão representadas num único lugar – Khast Imam.

 

Khast Imam Mosque –  Tem sido por anos o coração espiritual de Tashkent. Foi construída em quatro meses e remodelada em 2007.

 

Madrasah Barak Khan – Instituição Educacional.  – Fica no centro da praça, foi construída no século XVI.

 

Muyi Mubarak – Uma pequena biblioteca que também fica na Khast Imam Square e abriga o exemplar do Corão mais antigo do mundo. O Alcorão de Osmã é considerado um dos únicos originais, parte essencial do patrimônio histórico e cultural muçulmano. Mantido em uma câmara especial, atrai multidões de todo o mundo.

Segundo a lenda, a biblioteca também abriga um outro tesouro, Muyi Mubarak, que significa “o cabelo sagrado”, uma referência ao cabelo que se acredita pertencer ao profeta Muhammad.

 

National Library of Tashkent – Foi fundada em 1870 e abriga os documentos do Uzbequistão.

 

Kukeldash Madrasah – É a maior madrasah e um dos mais importantes monumentos históricos de Tashkent. É uma madrasah medieval construída em 1570. Já foi restaurada diversas vezes e hoje é diferente do projeto original. Depois da última restauração, voltou a ser uma instituição espiritual.

 

Abdulkasim Madrasah – Documentos sugerem que sua construção teve início no século XIX. É um monumento a Abdulkasim Khan, um intelectual que pagou cerca de 30 mil rublos pela sua construção e, todos os anos, proporcionou educação a 150 alunos. Muitos deles se tornaram pessoas famosas. Hoje, ali funciona uma escola nacional de artesanato.

 

Museum of Applied Arts – Tem muita representação do artesanato uzbeque, mas não oferece detalhes sobre eles.

 

Memorial dos Cosmonautas – Monumento em homenagem aos cosmonautas, inaugurado em maio de 2019. Fica na entrada do metrô do mesmo nome.

 

Independence Square (Mustakillik Maydoni) – Mais do que um ponto turístico, é um símbolo da cidade, um lugar onde acontecem todas as celebrações importantes. Lá se encontram alguns monumentos muito bonitos.

Um deles é o Monument of Courage Earthquake Memorial que lembra o terrível terremoto que destruiu a cidade durante o período soviético – 26 de abril de 1966 – e agradece aos países que ajudaram na reconstrução. Foi ali o epicentro do terremoto.

 

Amir Temur Square – Localizada no centro de Tashkent, tem como vizinhança edifícios históricos da cidade. O monumento e o nome mudaram muitas vezes até chegar ao que é hoje, uma homenagem a esse importante representante da nação uzbeque.

 

Os lugares acima têm a sua importância para a história da cidade, não se pode negar. Só que visitar o mercado e conhecer uma estação de metrô local foram programas imperdíveis.

 

Chorsu Bazaar (Eski Juva) – https://www.timetravelturtle.com/chorsu-bazaar-tashkent-uzbekistan/ – Um deleite para os olhos!

Além do pão, que também tem a sua importância em Tashkent, o trabalho que as boleiras artesãs fazem são destaques no mercado.

 

Tashkent Metrô – Uma estação mais bonita do que a outra! Vale conhecer pelo menos duas para ter uma ideia da beleza diferente de cada uma.

 

Alguns registros ….

 

O jantar foi num restaurante típico com show. Um lugar muito gostoso. Pena que eu não tenho registro dele.

 

Assim nos despedimos do Uzbequistão, do guia Dill e, no dia seguinte, logo cedo, partimos de avião para Bishkek, Quirguistão, nosso próximo destino.

 

Tashkent – um pouco mais….

https://www.youtube.com/watch?v=uRZfffHyccc

https://www.digestivocultural.com/colunistas/coluna.asp?codigo=1133&titulo=Um_brasileiro_no_Uzbequistao_(III)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *