Home

Férias 2018 – 20 de abril – Apulit Island Resort – Porto Princesa

20-04-2018 – sexta-feira

Nosso último dia no resort foi um pouco corrido.

Após o café da manhã, aproveitamos a praia e a piscina até às 11h. Depois fomos arrumar nossas coisas, almoçamos e, por volta das 13h, deixamos o hotel.

A despedida foi ao som dos animadores que nos brindaram novamente com a música típica do lugar.

Teria sido muito bom se tivessem aparecido mais vezes. Nossa estadia teria sido mais animada, talvez.

O barco nos levou até a outra margem, um percurso de pouco mais de uma hora.

Do outro lado, fomos até o receptivo novamente, tomamos café, comemos bolacha e fomos ao banheiro, antes de encararmos mais de quatro horas, divididos em duas vans, no percurso de volta até o hotel Porto Princesa.

Depois que nos acomodamos, tomamos banho e fomos jantar no próprio hotel. Comida muito gostosa. Tinha um buffet e, para quem quisesse, grelhado. Não havia muitas opções, mas estava tudo gostoso.

Depois do jantar, alguns foram até a piscina, uma vez que cada apartamento tinha uma privativa que se ligava a outra maior.

Eu gastei meu tempo arrumando malas porque elas teriam que ficar prontas para a viagem de volta ao Brasil no dia seguinte. Uma ginástica para equilibrar o peso das duas, já que cada uma não podia ter mais de 23 kg.

Passava da meia noite quando consegui terminar.

Férias 2018 – 21 de abril – Porto Princesa – Manila

21-04-2018 – sábado

Quando o despertador tocou às 4h30 da manhã, a sensação foi de que ainda não tinha dormido nada. Que sono!!!

Reunimos na recepção do hotel e recebemos a marmita com o lanche do café da manhã para comermos no caminho. Que falta de imaginação!!! Nem preciso dizer que era igual ao do primeiro dia. Dessa vez, nem me dei ao trabalho de abrir porque tinha visto o dos colegas.

Rapidamente chegamos ao aeroporto e 1 hora depois do embarque chegamos a Manila – https://philippinescities.com/manila-city/

Um ônibus nos esperava e um dia exaustivo também.

Mananzan Handicrafts

Logo de cara fomos à Mananzan Handicraftshttps://www.facebook.com/MananzanHandicrafts/ , uma loja que vende artesanato local e miudezas. Muita coisa interessante e pouco tempo para curtir o local.

Fort Santiago

Em seguida, fomos até a principal atração da cidade, o Fort Santiagohttps://www.viator.com/Manila-attractions/Fort-Santiago/d4674-a8021  – https://www.expedia.com.br/Forte-Santiago-Manila.d501666.Guia-de-Viagem

Intramuros, como é chamado, porque foi construído para ser uma fortaleza em defesa da cidade de Manila.

Em julho de 1880 os terremotos que se sucederam na ilha de Luzon foram tão fortes que afetaram até a cidade de Manila. Em virtude dos tremores, a frente do Fort foi destruída, o que mudou suas características.

Após a Segunda Guerra Mundial, o forte foi considerado Santuário da Liberdade (Shrine of Freedom) e hoje ele é conservado pelos seus administradores.

Aberto à visitação mediante compra de tickets, os turistas, antes da visita, são convidados a assistir a uma apresentação que conta uma pouco da sua história. Depois é possível andar por todas as partes e registrar a visita, of course.

Yakimix Restaurant

De lá, fomos almoçar no Yakimix Restauranthttps://www.zomato.com/pt/manila/yakimix-ermita-manila/menu – Dizer que comemos um pouco é ser muito educado. Comemos muiiito. Depois daquele desastroso café da manhã, a nossa sorte foi parar para almoçar num restaurante com um sistema de buffet tão bom. Ou achamos bom porque estávamos com fome. Não dá para saber.

Como tudo é motivo para farra, o aniversário da Nathalia, embora tenha sido bem antes, foi comemorado nesse dia com direito até à participação do staf do restaurante.

Perdi essa porque estava me servindo no buffet, lugar onde passei boa parte do tempo em que estivemos lá.

Greenhills Shopping Center

Depois do almoço, finalmente nos levaram para o Greenhills Shopping Center –  https://www.greenhills.com.ph/ , lugar que vende de tudo. É um mercado bem conhecido pela população local, com centenas de lojinhas e stands de venda de muitas coisas, além das pérolas nacionais e outras pedras preciosas!

Que momento esperado!

Sabíamos que as pérolas das Filipinas são famosas e baratas. Só que em nenhum momento as vimos em tamanha quantidade.

O problema foi o tempo escasso para tanta oferta e pouco dinheiro para comprar como gostaríamos. Que ironia do destino ir até lá poucas horas antes do embarque de volta para o Brasil. Como ter dinheiro local em quantidade suficiente para fazer compras? Como calcular de quanto precisaríamos para compras sem saber o que iríamos encontrar? O jeito foi fazer uma seleção muito criteriosa para adquirir o que foi possível com o que tinha nos restado, uma vez que não aceitavam outra moeda que não fosse a deles. Um pouquinho de planejamento não faria mal. Nesse caso, duas visitas resolveriam o problema, se é que isso é problema. Na primeira daria para ter um panorama do que valeria a pena adquirir para, numa segunda visita, ir com o dinheiro necessário.

Como isso não dá para ser feito numa viagem tão curta, vale o gostinho de trazer pelo menos algumas lembranças e ficar com a sensação de quero mais. Quem sabe um dia….

Claro que aquele pouco tempo passou mais rápido do que gostaríamos.

Mall of Asia

Assim que nos reunimos no horário combinado, nosso ônibus nos levou ao Mall of Asia –  https://www.smsupermalls.com/mall-locator/sm-mall-of-asia/information/ , um shopping center muito grande. Demos uma volta para conhecer. Interessante.

Pelo que deu para ver, não difere muito daqueles que conhecemos. Como não ficamos muito tempo nele nem podíamos fazer comprinhas porque nossas malas já estavam fechadas, nossos olhos foram comedidos. Kkkk

Golden Bay Restaurant

Nosso jantar foi no  Golden Bay Restauranthttps://goldenbayrestaurant.business.site/ . Comida gostosa já com sabor de saudade porque foi nosso último jantar juntos. Parte do grupo ficaria em Dubai e os outros voltariam para São Paulo.

Fiz parte do segundo. Não parei em Dubai porque dividi as férias e tive que voltar ao trabalho imediatamente, quando retornei a São Paulo.

Férias 2018 – 21 e 22 de abril – Manila – Dubai – São Paulo

21 e 22 04-2018 – sábado/domingo

Depois do jantar, fomos para o aeroporto e aí…. a maratona que todos conhecem quando se volta da Ásia. Horas de voo, de espera em Dubai e outro tanto de volta para o Brasil.

Às 16h pousamos no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, depois de uma viagem sem grandes surpresas e um pouco mais tranquila do que a que tivemos na ida.

Por causa do fuso, chegamos pouco mais de 16 horas em relação ao fuso de Manila, ainda que tenham se passado 30 horas desde então. Na volta, recuperamos o tempo “perdido” na ida. Coisas do fuso!

Aqueles que pararam em Dubai aproveitaram bastante e voltaram bem.

Férias 2018 – 22 de abril – São Paulo

22-04-2018 – domingo

Assim terminaram a estadia na Ásia e as minhas férias.

Depois de ter vivenciado tudo por duas vezes – a que vivi nos dias em que lá estive e a que revivi para escrever essa memória, posso dizer que mais uma vez fiz a escolha certa para desfrutar meus dias de descanso.

Meus companheiros de viagem, os lugares por onde passamos, as emoções que sentimos, os sabores e os cheiros fizeram valer cada centavo investido.

Voltei, mais uma vez, com a sensação de que foi bom, muito bom!

Gratidão, sempre! Por tudo aquilo que vivenciamos, por ter dado tudo certo, por irmos e voltarmos com muita saúde e por eu ter a oportunidade de fazer tudo isso mais uma vez.

Somente uma pergunta fica sem resposta: O que fazer para melhorar? Não sei… Cada dia um novo aprendizado…. Na vida, nada termina.

Para refletir …

“Quando a vida te trouxer mil razões para chorar, mostre que você tem mil e uma razões para sorrir.” Viajar é uma delas!

Até a próxima!

FÉRIAS 2018 – JAPÃO – FILIPINAS – DE 06 A 22 DE ABRIL

Férias 2018!

 

 

Japão… é para lá que eu vou.

De novo!!!!

Jamais poderia imaginar que voltaria a esse país tão distante, tão sonhado…. Pois é, são as voltas que o mundo dá e com elas vêm aqueles presentinhos que Deus coloca no nosso caminho.

Quando fui pela primeira vez, realizei um sonho cultivado por anos. Nem acreditei quando tive a oportunidade de voltar. Foi quase um susto! E o que dizer agora, pela terceira vez?

Obrigada!

Só tenho mesmo que agradecer a Deus por mais essa oportunidade.

Vou na companhia de amigos queridos, de amigos de amigos que, tenho certeza, serão meus também e de Deus, sempre presente na minha vida.

Dessa vez passaremos dez dias no Japão e cinco nas Filipinas. Alguns ficarão em Dubai, na volta. Não é o meu caso.

 

Japão

Nosso principal objetivo é ver as cerejeiras em flor.

Sakura (lê-se sakurá), um dos símbolos do Japão, é uma flor asiática que possui uma floração muito breve.

Reza a lenda que ela representa o amor, a felicidade, a renovação e a esperança e simboliza a transitoriedade da vida, nos lembrando que devemos vivê-la da melhor forma possível, valorizando aquilo que é realmente importante.

Por sua beleza e tempo de duração, a flor da cerejeira também está associada à efemeridade da existência humana e ao lema dos samurais: viver o presente sem medo.

E é assim que procuro viver. Sem medo, aproveitando cada momento com a certeza de que o tempo passa (muito rápido) e daqui nada levamos.

“Viajar é mais do que ver atrações turísticas; é uma mudança que continua, profunda e permanente, nas ideias de vida.” (Miriam Beard)

 

Filipinas

Dizem que é um lugar lindo. É o que espero ver. Se a cultura for interessante e o povo amigável, vai ser uma grata surpresa. Não quero criar expectativas.

“Todas as viagens têm suas vantagens. Se o passageiro visita melhores países, ele pode aprender a melhorar o seu próprio. E se a sorte o carrega para o pior, ele pode aprender a apreciá-lo.” (Samuel Johnson)

 

Nos dois lugares, há lições a serem aprendidas.

No Japão, como eu já conheço, é o que se deve fazer. Nas Filipinas, pelo que eu li, é o que não se deve fazer.

Na prática, tenho uma única certeza…. a vida é um aprendizado.

Então, se eu conseguir ver o lado bom de cada lugar, extrair o que eles têm de melhor, já valeu a pena ter ido.

Vou com a certeza de que voltarei melhor. Depois eu conto como foi!

“Daqui a vinte anos você estará mais desapontado pelas coisas que você não fez do que pelas que você fez. Então jogue fora as amarras, navegue para longe do porto seguro. Agarre o vento em suas velas. Explore. Sonhe. Descubra.” (Mark Twain)

Até a volta!

Férias 2017 – Myanmar – Taiwan – Dubai – de 02 a 22 de junho

 

Férias 2017

 

“A utopia está lá no horizonte. Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei. Para que serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar.” (Fernando Birri)

E caminhando eu vou, sempre que possível, a lugares que me dão prazer, um prazer que eu sinto antes mesmo de saber se vou gostar. Só que… gosto. Gosto muito de lugares impregnados de misticismo, crenças, religiosidade, novo e velho misturados … A ordem pode não ser essa e eu posso não encontrar todos esses ingredientes numa só viagem, mas aposto no tema e, geralmente, não me decepciono.

Dessa vez não foi diferente. Myanmar, Taiwan e Dubai foram os lugares escolhidos e, mais uma vez, adorei.

 

Férias 2017 – O grupo

O grupo

Pequeno, apenas oito pessoas, todas conhecidas e, por que não dizer, amigas.

Gosto muito de todos. Já viajamos juntos outras vezes e a cada viagem nossos laços de amizade se estreitam.

Dessa vez, os participantes foram Huang, que sempre encabeça a organização de tudo, Tony que a acompanha e apoia, Nathalia, Kingiro, Sílvia, Maria de Lourdes, Walter e eu, que embarcamos na ideia e apostamos no que desse e viesse.

Não vou falar de cada um porque seria repetitiva, uma vez que já falei sobre eles em anos anteriores. Fica valendo, apenas, a certeza de que são pessoas com as quais vale a pena conviver e passear.

Nosso guia no Myanmar foi Mei Mei, que fez o impossível para nos mostrar, nos dias em que lá estivemos, um pouco de tudo que representa o seu país. Em Taiwan, Mr. Shao não ficou atrás. Nada interferiu na programação prevista, nem mesmo a chuva que insistia em cair sem parar. Por causa dela, ele fez todas as adaptações para que não perdêssemos nada do que tinha sido planejado. E deu certo.

Mais uma vez, agradeço pela companhia de todos e pela pareceria maravilhosa nesses 20 dias de convivência.