Home

Férias 2019 – Quirguistão – Bishkek – 13 – 14 e 15 de junho

 

Quirguistão

 

Fica no coração da Ásia Central e foi um importante país na Rota da Seda.

Poucas vezes, em tão pouco tempo, senti a intensidade de um país. Conhecemos apenas uma cidade – Bishkek, mas tivemos uma visão dos costumes, da vida e da natureza nos dias em que lá ficamos.

Timur, nosso guia, aproveitou cada momento para nos mostrar o que seu país tem de melhor e nos contar o que tem de pior. Logo na chegada fomos ao Matata Terrace Bar, um café Mongol. Experimentamos os sabores da bebida e gostamos. Na rua, ele nos apresentou uma bebida típica de que não gostamos.

Fizemos um tour pela cidade, almoçamos no Azur Restauranthttp://arzu.kg/cafe-inside/arzu-style.html e só depois fomos ao hotel.

 

 

Ficamos no Jannat Resorthttps://jannat.kg/en/resort, um hotel localizado a 24km de Bishkek, na aldeia de Koi-Tash. A vista do desfiladeiro de Alamedin é maravilhosa. Logo que chegamos, um tapete vermelho na entrada chamou a atenção. A revista a que fomos submetidos e os seguranças espalhados pelo hotel logo deixaram claro que aquele tapete vermelho não era uma homenagem a nós. Presidentes de vários países estavam hospedados lá. Convivemos com os seguranças por um dia e meio, mas não vimos nenhuma autoridade presidencial.

 

 

Conhecer o complexo histórico onde fica o Burana Tower foi bastante interessante. Ele fica perto da cidade de Tokmok, no Vale Chui, na antiga cidade de Balasaghun, que já foi considerada o centro do mundo e fazia parte da Great Silk Road.

Balasaghum foi a capital da antiga Dinastia Turca Qarakhanid.

No complexo, também vimos, na zona arqueológica, muitas lápides, umas representando rostos. Reza a lenda que há algo mais a ser descoberto por lá. Só o tempo dirá.

https://www.journalofnomads.com/burana-tower/

 

 

Outro ponto alto do nosso passeio foi conhecer uma família quirguiz e seus costumes. Fomos almoçar lá. Além da comida típica, um almoço foi muito farto, conhecemos a casa e os seus moradores.

No quintal, tivemos a oportunidade de conhecer uma Iurta, espécie de tenda usada pelos pastores nômades da Ásia Central.

Iurta – Um pouco mais….

https://pt.euronews.com/2016/12/19/os-seculares-acampamentos-yurt-do-uzbequistao

 

 

O jantar nesse dia, apesar de mão ter sido no mesmo estilo do almoço, também foi uma experiência interessante. Além de a culinária ser bem melhor do que a dos países anteriores, o show foi lindo.

 

 

Não menos impressionante foi o passeio que fizemos em Ala Archa National Park. Que lugar lindo! Valeu andarmos cerca de 40 km para desfrutarmos daquela vista maravilhosa.

 

 

Assim que voltamos para Bishkek, paramos para almoçar no restaurante Navat – https://pt.foursquare.com/v/navat/532696eb498e2ea84bae02c9 – antes de continuarmos os passeios do dia.

 

 

Ala Too Square – É um lugar muito calmo durante o dia e muito movimentado à noite, quando as pessoas vão até lá para ver a fonte e as luzes que a iluminam. Além da bandeira do país que a enfeita, tem o Monumento Erkindik (Liberdade) que á a estátua de Manas, um herói nacional, montado no seu cavalo Akkula. Ela foi colocada em 2011 para celebrar o 20º aniversário da independência do Quirguistão, em substituição à estátua de Lênin, retirada em 2003.

 

 

Por fim, a visita ao Osh Bazaarhttps://www.journalofnomads.com/tips-to-visit-the-osh-bazaar-in-bishkek/ só reforçou a certeza de que mercado é onde realmente se vê a cultura de um povo. E o pão…. ah… aquele pão ficou na memória e será eternamente lembrado.

 

 

O jantar foi no hotel. Antes dele, nos reunimos no bar para happy hour e comemoração atrasada do meu aniversário. O chefe dos garçons não só permitiu que abríssemos o espumante que levei como cedeu gelo, copos e nos brindou com outro espumante. Foi uma comemoração muito melhor do que eu esperava.

 

 

Assim nos despedimos do Quirguistão, uma agradável surpresa no nosso roteiro que ficará para sempre na minha memória!

Fomos de avião para o Cazaquistão no dia seguinte.

Quirguistão – um pouco mais….

https://www.youtube.com/watch?v=4gJhcL1z9CI

https://www.youtube.com/watch?v=ph4IS4i87xY&list=PLfk74M8kq2CREScrSw7FD-dSR_X6qPYZo&index=4

https://www.youtube.com/watch?v=0gFBoSzTIjk&list=PLfk74M8kq2CREScrSw7FD-dSR_X6qPYZo&index=5

 

Férias 2019 – Quirguistão – Bishkek – Cazaquistão – Almaty – 16 de junho

 

Cazaquistão

Último país da Ásia Central que visitamos!

Eugênio foi nosso guia em Almaty, primeira cidade por onde passamos.

Almaty

Ficamos no Rixos Almatyhttps://almaty.rixos.com/, um hotel 5 estrelas muito bonito e confortável. Apesar do pouco tempo lá, tivemos a oportunidade de conhecer uma festa de formatura que aconteceu no dia que chegamos. Prontos para sairmos do hotel para jantarmos, tivemos um tempinho para ver o início dela. Muita gente bonita e bem vestida.

 

 

Considerada verdadeiro Jardim do Éden por alguns, Almaty é realmente uma cidade grande e bonita.

Visitamos lugares interessantes.

Panfilov Park – O monumento que dá nome ao parque é uma homenagem aos 28 soldados que deram a vida por lutarem em defesa da Rússia na Segunda Guerra Mundial.

 

 

Zenkov Cathedral – Catedral ortodoxa russa muito bonita. Fica no Parque Panfilov.

 

 

Green Market

Não poderíamos deixar de passar no mercado.

Green Market (ou Zelyoniy Bazaar) não deixa nada a desejar. É tão bom quanto aqueles que vimos em outros lugares. Diria até que superou as expectativas, uma vez que vi coisas muito diferentes que nem deu para saber o que era.

 

 

Nosso almoço foi no restaurante Del Papahttp://www.abr.kz/restaurants/delpapa/. Para quem não come cebola, o que veio???? Pizza!!!! Amei!

 

Republic Square – Lugar para realização de eventos públicos.

Central State Museum of Kazakhstan – http://csmrk.kz/index.php/en/   – Um dos maiores museus da Ásia Central, conta a história do Cazaquistão.

 

Kok Tobe Hill – Fomos de bondinho. Lugar muito bonito, de onde se tem uma vista maravilhosa da cidade, além de muitas atrações para crianças e adultos.

 

 

E, para finalizar os passeios do dia, fomos conhecer um Spa local – Arasan Wellness & SPAhttps://arasan-spa.kz/ – O banho turco foi sensacional, mas ficamos sem massagem porque lá as mulheres não têm muito cartaz e só 3 massagistas estavam disponíveis para nos atender. Já os homens…. tiveram muiiitas massagistas à disposição. Rsrsrs

 

 

O jantar foi no restaurante Navat – http://navat.kg/en/ – e o diferencial foi o seu astro principal – cavalo. Não me animei a seguir alguns corajosos do grupo que experimentaram e se queixaram porque a carne era dura.

 

 

 

Almaty

Um pouco mais….

http://www.welovealmaty.com/kok-tobe.html

 

 

Férias 2019 – Cazaquistão – Nur Sultan (Astana) – 17 e 18 de junho

 

Nursultan ou Nur- Sultan ou Nur-Sultã (Astana)

 

Foi a nossa última parada na Ásia Central. Um lugar que muda de nome de acordo com a vontade ….

Bem, a cidade se chamava Akmoly, depois Akmolinsk daí para Tselinogrado, depois Akmola, depois Astana e, por fim, em março de 2019 passou a se chamar Nursultan, que também se escreve de acordo com a vontade de cada um. Uma homenagem ao ex-presidente e “pai da nação”, Nursultan Nazarbayev, que saiu em 29/03/2019, data em que a cidade recebeu seu novo nome.

Regina foi nossa guia. Apesar de ter sido mais fraca em relação aos demais guias, cumpriu o seu papel e nos deu a assistência de que precisávamos lá.

Chegamos a Nur- Sultan de avião, por volta das 13h30.

 

 

Culinária – Em Nur Sultan, nossas refeições foram feitas em diferentes tipos de restaurantes.

 

Pivovaroff – https://www.edgekz.com/astana-businesses/pivovaroff-2/ – é um restaurante que oferece comida alemã e europeia.

 

Daredzhani Kabanbay Restaurant – Comida Georgiana – Só de lembrar daquele pão com queijo minha boca se enche de água. Delicioso, dentre outras opções também deliciosas.

 

 

Mill Restaurant – Um restaurante ucraniano que possui uma comida deliciosa.

 

 

Ficamos no hotel da Rede Rixoshttps://rixos-president-astana-hotel.business.site/, tão bom quanto o anterior.

 

 

Nur Sultan é uma cidade grande, dividida em velha e nova pelo Rio Ishim. Confesso que o pouco tempo lá não foi suficiente para entender o que era o quê. Parecia que estávamos passando sempre pelos mesmos lugares.

A parte que visitamos e ficamos mais tempo, com certeza, é a parte nova e foi lá que vimos algumas das maiores atrações depois de termos feito um passeio pelo Rio Ishim. Com exceção de alguns poucos lugares, pelas fotos das principais atrações podemos ver que estão muito próximas umas das outras. Daí a sensação de estarmos andando em círculo.

 

 

Palácio da Independência – http://indepalace.kz/en/ – Um lugar destinado a funções do estado. Lá são realizadas convenções, reuniões etc.

 

 

Green Water Boulevard – (Nurzhol Boulevard), uma zona de pedestres onde se localizam complexos administrativos, habitacionais e de entretenimento. Vai da Praça da Independência até o Shopping Khan Shatyr, um centro comercial e de recreação.

Ali encontramos, árvores, gramados, um shopping popular chamado Keruyen e muitas outras coisas bonitas para admirar. Os edifícios e fontes são únicos porque foram projetados individualmente.

Também é nela que ficam os Ministérios, o edifício KazMunaiGas, a Mesquita Khazret Sultan, Biblioteca Nacional e Baiterek.

Enfim, tamanha concentração de significativos marcos da cidade faz com que o lugar seja de uma beleza ímpar, razão pela qual passamos quase o tempo todo por lá.

 

 

Round Square – https://visitkazakhstan.kz/en/guide/places/view/124/

Foi construída em concreto de alta resistência, uma vez que as condições climáticas de Nur Sultan estabelecem requisitos mais altos para os profissionais de engenharia. Nur Sultan é considerada uma das capitais mais frias do mundo. Longe do oceano e clima continental severo, a diferença anual gira em torno de 93º. Menos 50º no inverno e verão quente exigiram uma tecnologia especial para a sua construção.

 

 

Baiterek Tower – https://www.baiterek.gov.kz/en – Um belo monumento que também é um observatório da cidade de Nur Sultan. Segundo a lenda, Baiterek é a árvore da vida e sua estrutura simboliza os três pilares da criação – mundos subterrâneo, terrestre e celeste. A bola de vidro seria o ovo do místico pássaro Samruk, que todos os anos põe um ovo – o Sol – que é engolido por Ajdahar – o dragão – que vive ao pé da Árvore da Vida. Uma lenda que significa, simbolicamente, a alternância entre verão e inverno, dia e noite, luta entre o bem e o mal.

 

 

Mesquita de Khazret Sultan – https://www.itinari.com/pt/location/hazrat-sultan-mosque

Foi a primeira vez que vimos demarcação para mulheres dentro de uma mesquita.

 

 

Assumption Russian Ortodox Cathedral – Cristianismo e Islamismo podem ser praticados nos dias de hoje. Depois de conhecermos a mesquita Khazret Sultan, fomos conhecer a Assumption Russian Ortodox Cathedral.

Deslumbrante, é o mínimo que se pode dizer. Ela é toda branca, partes em ouro e azul celeste. No interior, os murais, em folhas de ouro, vão do chão ao teto e o altar é uma massa de cores ao estilo ortodoxo russo. Apesar de não termos subido, a guia nos disse que no segundo andar  fica o coral e, no subsolo, que também não visitamos, os cultos eram realizados quando o cristianismo não podia ser praticado ao ar livre.

 

 

Palace of Peace and Reconciliation – https://www.lonelyplanet.com/kazakhstan/nur-sultan-astana/attractions/palace-of-peace-reconciliation/a/poi-sig/1384855/356866

Foi aberto em 2006 para sediar o Congresso Trienal de Religiões Mundiais e Tradicionais realizado pelo Cazaquistão.

 

 

Expo 2017

O ponto alto da nossa passagem por Nur Sultan foi logo depois do almoço, quando visitamos a Expo 2017 – Energia do Futurohttps://expo2017astana.com/en/ , que mostrou como a tecnologia e as energias renováveis transformarão a economia e o mundo. Apesar de já ter sido encerrada, permanece aberta para exibição até agora. Nesse complexo, conhecemos variados projetos ligados à produção de energia. Maravilhoso e imperdível é o mínimo que se pode dizer sobre o lugar, sem nenhum exagero.

Expo 2017 – um pouco mais….

https://www.nytimes.com/2017/08/23/travel/kazakhstan-world-expo-astana.html

 

 

Khan Shatyr Shopping – http://khanshatyr.com/enConheci no tempinho livre que sobrou depois dos passeios. Se vale a pena? Para tirar fotos do seu belo design e do entorno, sim. Não passa de um shopping como qualquer outro.

 

 

Outros registros

 

 

E assim encerramos nosso passeio pela Ásia Central. Foi muito bom! Tive oportunidade de ver diferentes lugares com uma cultura não tão diferente entre eles e aprendi um pouco mais, o que sempre acontece em terras estrangeiras.

Na minha opinião, quando visitamos outros países, não dá para dizer que voltamos especialistas no que se refere à cultura e costumes. Até porque podemos não concordar com o que vemos e não querer aprender pode ser uma opção. No entanto, isso não me impede de gostar e até de admirar o “way of life” dos povos que vivem nesses países. Gostei!

 

Rota da Seda – um pouco mais….

https://pt.euronews.com/2018/08/31/mar-de-aral-um-desafio-ambiental-para-o-mundo

 

Cazaquistão – um pouco mais….

https://www.dicasecuriosidades.net/2019/04/cazaquistao-fatos-e-historia.html

Almaty – https://www.youtube.com/watch?v=Mud5X_vY3mA – euronews

Nur Sultan (Astana)https://www.youtube.com/watch?v=3EQk9sTGCP8 – euronews

https://www.youtube.com/watch?v=EmTsx_HW5nU

https://www.youtube.com/watch?v=cvSfstCdA-A

https://www.youtube.com/watch?v=6nAC_NaDmUk

https://pt.euronews.com/2015/09/14/cazaquistao-os-550-anos-do-reino-cazaque

 

Férias 2019 – Cazaquistão – Turquia – Istambul – Capadócia 19 – 20 e 21 de junho

 

A segunda parte da viagem foi a tão esperada Turquia.

 

 

Queria muito conhecer e não me decepcionei. Nosso programa foi bastante intenso.

A capital da Turquia é Ankara, que fica no centro do país, mas a cidade mais importante e mais conhecida é Istambul, a única do mundo que fica em dois continentes – a Europa e a Ásia. E é na Ásia que fica Anatólia, uma das regiões do país, também considerada por muitos o berço das civilizações.

http://historiadoralidiane.blogspot.com/2013/02/mesopotamia-o-berco-da-civilizacao.html

Na Turquia encontramos cidades modernas, calmas, de clima seco. O verão é quente, chega a 34º, e o inverno muito frio, -26º. Os produtos mais típicos são uva, damasco, maçã, abóbora, beterraba, romã e batata.

O açúcar é feito da beterraba e com a romã se faz chá e molhos muito bons. O chá de maçã também é típico da região.

Outros produtos típicos são os doces de goma, o hallawi, bratlva e o anis turco, uma mistura de água com soda Amarak.

 

Culinária

Eles usam muito tempero na culinária.

Nossas refeições foram no hotel ou em algum restaurante local. Lá conhecemos uma sopa explosiva que quase causou um desastre. Se não for bem manipulada, causa estrago porque é como se fosse uma panela de pressão. Seu nome? Testi Kebab

De modo geral, a culinária não deixou saudade, apesar de ser razoavelmente boa para o meu paladar e apreciada por muitos. Reconheço que sou enjoada mesmo. Poucas coisas me fazem sorrir como uma pizza!

Um pouco mais….

https://www.tudosobreistambul.com/gastronomia – http://bloggastronomix.blogspot.com/2014/10/eu-recomendo-cozinha-palaciana-otomana.html

 

 

O couro compete com o da Argentina como um dos melhores do mundo e na Turquia também são famosos os tapetes e as pedras turquesas. Além delas, em uma pequena aldeia da Turquia existe uma pedra que muda de cores e é muito valiosa.

Não é muito simples entender a geografia da Turquia, pelo menos durante a correria de uma viagem, mas vamos lá….

Depois dos trâmites de aeroportos, chegamos a Kayseri, encontramos Ezra, a nossa guia, e de lá fomos para Urgup, Capadocia, no dia 19 de junho. Nursultan>Istambul>Kayseri, onde estava nosso hotel – Yunak Evleri Cave Hotel – Os apartamentos ficam nas cavernas, uns melhores do que os outros. Não dá uma sensação ruim porque a estrutura é montada para não sentirmos que estamos em uma caverna. No entanto, alguns apartamentos podem apresentar características que não agradam a todos. Não tive problema.

 

Yunak Evleri Cave Hotelhttps://www.yunak.com/ A realidade é um pouco diferente das fotos.

 

 

Passamos pela Capadócia que, ao contrário do que eu imaginava, é uma região. Conhecemos alguns lugares e ficamos em cidades diferentes. Por exemplo:  Urgup, Avanos, Goreme, Pamukkale e a cidade subterrânea Kaymakli.

Logo de início fomos à região de Pasabag para ver as Chaminés de Fadas – https://www.goreme.com/portugues/pasabag.php , que brotam como cogumelos gigantes no meio de belíssimas formações rochosas. Um deleite para os olhos.

 

 

Vale dos pombos (Guvercinlik) https://www.viator.com/pt-BR/Goreme-attractions/Pigeon-Valley-Guvercinlik/d23271-a7535 , um lugar belíssimo. Antigamente, seus habitantes criavam pombos, daí o nome desse vale com incrível formação rochosa.

 

 

Conhecer uma outra casa de banho, agora na Turquia, foi uma experiência ímpar. Elis Hamam Bathhttp://www.elishamam.com/ fica em Goreme. Creme no rosto, sauna, banho, banho turco e massagem… um pacote completo para a alegria de quem gosta. Amei!!!

 

 

Outro passeio imprescindível é andar de Balão pelos ares da Capadócia. Levantar bem cedo faz parte do programa porque a intenção é estar no local antes de o sol nascer. O local é fixo e muiiitos balões ficam preparados para subir, se o tempo ajudar. O sinal é um “balão teste”. Se ele sobe, os outros podem subir também. Demos sorte porque não é sempre que o balão sobe. Segundo a guia, até aquele dia o balão só tinha subido 29 vezes desde fevereiro. Demorou um pouco, quase desistimos até que veio a notícia …. íamos subir porque o vento tinha mudado e contribuído para isso. Após a descida, o passeio é comemorado com espumante. Que deslumbre! Vale cada minuto!

 

 

 

 

Goreme Open Air – https://www.goreme.com/portugues/goreme-open-air-museum.php – também é um lugar imperdível. São formações rochosas que parecem obras de arte. Há 11 mosteiros, cada um com a sua igreja. Desde 1984 fazem parte do Patrimônio Mundial da UNESCO.

 

 

Não menos interessante foi conhecer Kaymakli – https://www.goreme.com/kaymakli-underground-city.php , a maior das 36 cidades subterrâneas da Capadócia, lugares que serviam de esconderijo e moradia.  Dos seus 8 andares, só 4 estão abertos à visitação. Estreitos e baixos requerem preparo físico e cuidado, mas vale a pena conhecer.

 

 

Nosso último passeio na região da Capadócia foi conhecer Sema, a tradicional cerimônia dos Derviches Rodopiantes

 

Derviches Rodopiantes – Whirling Derviches Show – https://istanbeautiful.com/whirling-dervishes-show-in-istanbul/

A performance simboliza o ciclo místico para alcançar a perfeição. Inicialmente vestidos de preto, removem a capa como símbolo do avanço para a maturidade e, de branco, rodopiam durante uma hora como se estivessem em transe. Em vários momentos seguram os braços cruzados para testemunhar a unidade de Deus. Não dá para explicar a magia dessa dança. Numa versão simplista, trata-se de uma tradição de 700 anos que simboliza o amor, a busca da verdade e o caminho da perfeição.

 

 

Férias 2019 – Turquia – Konya – Pamukkale – 22 e 23 de junho

 

Depois de três dias saímos da Capadócia com destino a Konya e Pamukkale.

 

No caminho, paramos para conhecer alguns lugares como Seljuk Caravansary Tepesidelik Han (Öresun Han) – http://www.tuerkei-antik.de/Karawansereien/tepesidelikhan_en.htm , um tipo de pousada que abrigava mercadores da Rota da Seda e seus animais. Uma obra prima Seljukian do século XIII.

 

Museu Mevlanahttp://revista.brasil-europa.eu/144/Konya-e-Ikonyon.html

Museu do fundador da Ordem Mevlevi, conhecida como os derviches que dançam. Lá pudemos ver a representação de um pouco da vida deles.

O museu Mevlana abriga, também, Mausoléu de Jalal ad-Din Muhammad Rumi, um místico sufi conhecido, também, como Rumi ou Mevlâna.

Seu interior é bem bonito, há muitos e diferentes exemplares do Alcorão e ainda é usado como mesquita pelos muçulmanos.

 

 

Também visitamos o Karatay Medresesi Museum – https://www.inspirock.com/turkey/konya/karatay-medresesi-museum-a294144735, em Konya, um lugar onde conhecemos a arte Islâmica por meio das cerâmicas Seljuk.

 

 

Por fim, chegamos a Hierápolis Pamukkale. 

Que maravilha! As fotos profissionais retratam muito bem o lugar e as nossas também não fizeram feio – um conjunto de piscinas termais de origem calcária que, com o passar dos séculos, formaram bacias de água que descem em cascata. Declarado Patrimônio Mundial da Unesco em 1988, faz jus ao título devido a sua espetacular paisagem natural.

Segundo a guia, os hotéis, que agora ficam do outro lado, foram removidos do complexo porque estavam acabando com as piscinas naturais, uma vez que usavam a água para o abastecimento. Hoje a região está preservada. Preservada em termos porque está sujeita a abalos sísmicos, como se pode ver pelas rachaduras em todos os lugares. Azra nos disse que terremotos são muito comuns em regiões de águas termais e não respondeu quando perguntei quando foi o último. Acho que não quis nos assustar. Rsrsrs.

O lugar é tão lindo e emana uma energia tão boa que nos inspirou a fazer Tai-chi.

 

 

Além desse conjunto de piscinas, passamos pelas ruínas do Southern Bizzantine Gate – Ancient City – 5Th century AD, em Pamukkale Hierapolis.

 

 

Seguindo nosso tour, de ônibus, fomos passando por diversas cidades e conhecemos lugares históricos, místicos, tradições, enfim, saboreamos um pouquinho de cada uma e nos encantamos. Muitas vezes temos que ir além da realidade palpável e documentada para acreditarmos nas origens, no começo de tudo, naquilo que se crê e que representa a nossa história.

Dentre os lugares por onde passamos, cidades históricas como Dídima e Efeso mereceram nossa visita.

 

O Templo de Apolo – Deus do Sol, da Música e da Medicina

Fica em Dídima, na região de Anatólia. Não é só um templo antigo. É o lugar onde Antonio conheceu Cleópatra, apresentando-lhe o templo como símbolo do seu amor e devoção.

Há muitos templos de Apolo. O de Dídima é um santuário popular. Ele também é famoso por sua capacidade de curar.

 

 

Casa da Virgem Maria

Fica no Monte Koressos, perto de Efesus – https://www.ephesus.us/ephesus/houseofvirginmary.htm. Muitos acreditam que foi lá que a Virgem Maria viveu. Há quem questione porque não é possível ter uma prova concreta. Ainda assim, o lugar emociona e muitos não deixam de orar, de pedir proteção, de agradecer por estar lá, de beber a água que dizem ter propriedades curativas e, claro, de colocar o pedido no muro, na esperança de ele ser atendido. Com certeza, quem acredita saiu de lá melhor do que entrou pelo simples fato de que a fé move montanhas.

 

 

Couro

Só que nem tudo é questão de fé ou de história. Uma lojinha é sempre um bom lugar para aplacar nossa ansiedade pelo concreto e palpável. Não há quem não goste! E foi por isso que paramos numa fábrica de couro para comprovar a sua tão famosa qualidade  – Baggio Rossini Leather – https://www.baggiorossini.com/. Quem não resistiu, acabou comprando. Artigos belíssimos.

Resisti o quanto pude e não comprei de imediato. Depois, já em Istambul, acabei pedindo para entregarem um casaco que tinha visto durante a visita, uma vez que lá os modelos eram diferenciados e o preço não muito diferente daqueles praticados em Istambul. Mulher é fogo!!!! Quando quer…..

 

 

Por fim, depois da maratona vivenciada no trajeto, chegamos ao Colossae Thermal Hotel – http://www.colossaehotel.com/colossae/lang/2/en/english.aspx , Pamukkale, onde passamos a noite.

 

Capadócia …. um pouco mais…..

 

No dia seguinte fomos a Izmir e pegamos um voo para Istambulhttps://viagemeturismo.abril.com.br/cidades/istambul/.

Fomos direto para o Surya Hagia Sophia Hotelhttps://surahotels.com/sura-hagia-sophia-hotel, onde nos hospedamos por três dias. Hotel muito bem localizado, perto de muitos restaurantes e das maiores atrações da cidade.

 

 

Férias 2019 – Turquia – Istambul – Parte 1 – 23 de junho

 

Istambul!

 

Foi mágico conhecer esse lugar. A história é impressionante, os lugares são fantásticos, parece que a gente respira cultura e não consegue absorver tudo que a cidade significa e oferece. Quanta coisa para ver, aprender, saborear, curtir…. Sabia que seria bom estar lá, só não imaginava quanto. Que delícia de lugar!

Foi assim que começamos….. Vou tentar reproduzir um pouco do que vivenciamos, já que foi muito mais do que conseguirei relatar.

Depois de uma noite de descanso, começamos a conhecer a cidade fazendo um tour a pé e o que vimos só fez aumentar o amor à primeira vista pela cidade. Como ficamos no bairro Sultanahmet, as maiores atrações estavam a poucos passos do nosso hotel, na Praça também chamada Sultanahmed.

 

Praça Sultanahmedhttps://www.gpsmycity.com/attractions/sultanahmet-square-55642.html – os monumentos históricos estão nela ou próximo a ela.

 

 

Na praça….

 

Hipódromo de Constantinopla.  Foi o centro da vida da vida Bizantina e Otomana em Constantinopla, antigo nome de Istambul. O local passou por transformações mas ainda conserva alguns monumentos como o obelisco de Theodosius (390 a.C.), o obelisco de Walled e a coluna de serpentes dedicada a Apolo, que não registramos.

 

 

Germain Fountain – https://www.weloveist.com/listing/german-fountain – Um dos belos monumentos de Istambul. Foi um presente do Imperador germânico Wilhelm II, em 1898.

 

 

Hagia Sophia – Sagrada Sabedoria – https://www.dw.com/en/hagia-sophia-museum-or-mosque/a-39428448 

Museu ou Mesquita? Já foi igreja, já foi mesquita e hoje é museu que pode voltar a ser mesquita. De qualquer forma, Hagia Sophia não é apenas um marco de Istambul, mas um “símbolo da conquista islâmica de Constantinopla em 1453…” Para nós é um lugar muito bonito que deve ser visitado. De quebra, descobrir a coluna “sagrada”, colocar o dedinho no buraco e dar um giro de 360º pode dar uma guinada na vida, garantem alguns. Nada cientificamente provado, mas a fé….. É só acreditar.

 

 

Muito perto dela encontra-se Sultanahmed Camiii – http://www.sultanahmetcamii.org/ , a Mesquita Azul, a mais importante de Istambul. Sua beleza é estonteante. O azul do seu nome não vem da parte externa e, sim, dos azulejos que adornam a cúpula e a sua parte superior. A iluminação vem de mais de 200 vitrais e dos lustres pendurados no teto. Não há como não ficar encantado com o lugar. Segundo informações, ela provocou polêmica porque foram construídos 6 Minaretes, mesmo número de Minaretes da Grande Mesquita de Meca, o que as igualaria em importância, algo impensável para eles. Para acalmar os seus fiéis, o construtor foi até Meca e construiu mais um minarete na Grande Mesquita.

 

 

Depois do almoço fizemos um tour de ônibus pela cidade. Passamos por mais alguns lugares turísticos e pegamos um teleférico para ir até o Pierre Loti Tepesi –  http://www.pierrelotitepesi.com/hakkimizda2.asp?pg=hakk , um lugar onde se pode tomar um delicioso café. De lá se pode ver a cidade de cima, as sete colinas de Istambul e o Chifre de Ouro – https://www.infoescola.com/europa/corno-de-ouro/  – .

 

“O que é Chifre de Ouro?

…..
O Corno de Ouro é a transição entre rio e mar que divide Istambul em um lado europeu e outro lado asiático.

O Chifre de Ouro é banhado pelo Mar de Mármara, que é um mar interior que divide o Mar Negro e o Mar Egeu, formando assim um profundo porto natural…..”
Menphis Tours

 

A vista da cidade que se tem do Pierre Loti Tepesi é maravilhosa e até inspirou o escritor francês Pierre Loti a escrever o livro Aziyade. Daí a colina receber seu nome.

 

 

Nesse dia nosso jantar foi durante o cruzeiro pelo Estreito de Bósforo.

 

Turkish Night Show and Dinner_Pereme 1http://pereme.com.tr/en_dinner-turkish-night-show . Um passeio maravilhoso e divertido. Além disso, passamos embaixo da ponte que une dois continentes – Europa e Ásia – um dos pontos altos da viagem.

 

 

Férias 2019 – Turquia – Istambul – Parte 2 – 24 de junho

 

Istambul

 

Continuamos explorando a cidade e visitamos lugares que nos levam a acreditar em versões lendárias ou não. Prefiro não questionar. Como é tudo muito perto, não se perde tempo no trânsito e dá para conhecer muitos pontos turísticos.

 

Na grande praça onde fica o Palácio Topkapi, vimos a Fonte do Sultão Ahmet III, construída em estilo rococó turco.

 

Palácio Topkapi

Hoje um museu, servia de residência aos Sultões para tratar de assuntos ligados ao governo e também era onde ficava o harém. Muita lenda em torno dele, muitas vezes um lugar onde moças viviam como escravas para aprender a servir, nem sempre com o propósito que temos em mente. Há controvérsias a respeito.

Nele há três portões. Portão Imperial onde se compra os ingressos, Portão da Saudação vem em seguida e depois Portão da Felicidade.

Por causa do seu tamanho, não dá para ver tudo e o ingresso também não é válido para todas as dependências. O ingresso é à parte para conhecer onde Ahmet aproveitava a sua vida privada.  Será que vem daí o nome Portão da Felicidade?

Babus Saade Gate of Felicity – Simboliza a soberania do Império Otomano e do seu governante. É a residência oficial e particular do sultão.

https://www.tudosobreistambul.com/palacio-topkapi

 

 

Bem perto dali fica a Cisterna da Basílica.

 

Cisterna da Basílica

Também chamada de Yerebatan Sarnici ou Yerebatan Sarayi. Dentre as muitas definições, trata-se de um lugar que servia de reserva de água, caso a cidade fosse atacada. Na Cisterna da Basílica, há 336 colunas e duas delas têm como base a cabeça de Medusa, o ser mitológico que transformava em pedra quem olhasse para ele. Enfim, lendas à parte, há quem diga que as cabeças foram reaproveitadas de outras construções e estão lá apenas como base de sustentação das colunas. Para nós, importa conhecer e deixar a imaginação fluir.

Quer saber mais?

https://www.360meridianos.com/dica/cisterna-da-basilica-istambul

 

 

Nosso almoço foi no Adamar Hotel – https://www.adamarhotel.com/en/1928/1942/restaurant. Vista linda da cidade, também!

 

 

Já foi a algum lugar e não conheceu o mercado? Não? Sempre vou dizer isso – mercado é o retrato do povo. Spice Market (Misir Carsisi) – https://istanbultourstudio.com/things-to-do/spice-bazaar  – não poderia ser diferente. É um lugar que agrada aos olhos e ao paladar. Um passeio obrigatório, independente de querer ou não comprar algo. Só que é impossível não comprar.

 

 

Encerramos o dia com homenagem aos aniversariantes do mês – João, Walter, Kátia e eu. Nathália, que não é de junho,  também foi homenageada porque seu aniversário foi pouco antes da viagem. De quebra, demos uma volta perto do hotel. Que lugar gostoso e animado!

 

 

Férias 2019 – Turquia – Istambul – Parte 3 – 25 de junho

Istambul

Mais um dia de tour pela cidade confirmou a minha certeza. Quero voltar! Cada lugar por onde passávamos despertava a vontade de ficar mais um pouco.

 

Foi assim na Rua Istiklal – https://istanbulclues.com/istanbul-istiklal-street/  –  Uma rua, simplesmente uma rua. Só que, com tanta coisa para ver, umas poucas horas não foram suficientes para ver tudo. E não foi por causa de um mero detalhe… a concentração de homens por metro quadrado só não supera um clássico de futebol. rsrsrs

 

 

Depois fomos até a Galata Kulesi Tower – http://www.galatatower.net/ e também passeamos na Praça Taksim – http://www.greatistanbul.com/taksim.html

 

 

Continuando nossos passeios do dia, atravessamos a ponte e passamos para o lado asiático da cidade a fim de irmos até Çamlica Hill – https://www.alaturkaturkey.com/destinations/camlica-hill.html, um lugar cuja vista é de tirar o fôlego. Dá para apreciar o Bósforo e a ponte que une os dois continentes – Ásia e Europa. Um dos melhores lugares para apreciar a maravilhosa vista de Istambul.

 

 

Depois disso, só faltou mesmo encerrar o dia no tão falado Grand Bazaar.

 

Grand Bazaar Kapaliçarsi – https://www.theguideistanbul.com/grand-bazaar-guide/ 

Fiquei perdida no pouco tempo que tive para conhecer. Um lugar imenso, setorizado, impossível conhecer em duas horas, tempo que eu tinha para ficar lá. Quando tive a certeza de que pouco veria, dei apenas uma volta de uns 20 minutos e decidi mudar de programa. O lugar é imenso, vale uma visita mais digna e não um passar de olhos em cada espaço sem curtir o que tem a oferecer.

Como adorei a cidade e tive a certeza de que quero muito voltar, optei por sair do bazar e tomar um banho turco para aproveitar o tempo com o melhor que podia fazer naquelas poucas horas.

 

 

Cemberlitas Hamami

O banho turco no Cemberlitas Hamami – https://www.cemberlitashamami.com/, seguido de uma deliciosa massagem, era tudo que eu estava precisando e querendo naquele fim de viagem. Foi a escolha certa porque no dia seguinte, 26 de junho, voltamos para o Brasil. Fim da viagem e fim das férias.

 

 

Foi isso … na medida certa, no tempo certo, como tinha que ser.

Sigo em frente, relembrando o que vi e pondo em prática o que aprendi.

Viajar é um pouquinho assim…

Não sei se é a “única coisa” como diz Roberta Thornton, mas eu me sinto mais rica na volta, disso não tenho dúvida – “Viajar é a única coisa que você compra que te deixa mais rico”.

Essa riqueza se traduz no que disse José Paulo Paes – “Cultura é tudo aquilo de que a gente se lembra após ter esquecido o que leu. Revela-se no modo de falar, de sentar, de ler um texto, de olhar o mundo. É uma atitude que se aperfeiçoa no contato com a arte. Cultura não é aquilo que entra pelos olhos, é o que modifica seu olhar”.

A frase atribuída a Ana Maria Braga resume aquilo em que realmente acredito “Não espere ter tudo para aproveitar a vida, você já tem a vida para aproveitar tudo.” 

Até a próxima!